Ladrões se passam por repórteres da "Quatro Rodas" e roubam carros antigos em SP

Redação Portal IMPRENSA | 03/03/2016 13:00
Golpistas se passaram por repórteres da revista automotiva Quatro Rodas para enganar proprietários de carros antigos em São Paulo. O crime só pôde ser elucidado com ajuda de entusiastas dos veículos.

Crédito:Wikimedia commons
Carros foram achados com ajuda de colecionadores

Segundo O Estado de Minas, um dos ladrões adotou o nome de um dos jornalistas da publicação e usando falsos crachá e carta de apresentação, roubou três Chevrolet Impala clássicos, um deles avaliado em mais de R$ 250 mil. 

O falso repórter entrou em contato com os proprietários dos veículos para um evento que aconteceu de verdade. Sem desconfiar, ele pediu que os donos deixassem os carros em um galpão na Zona Sul da capital paulista, pois seriam exibidos no encontro.

Para tornar o golpe mais crível, os golpistas disseram que os gastos de hospedagem e alimentação seriam por conta da publicação. Eles ainda enviaram credenciais falsas e R$ 600 para pagar parte do guincho.

Sem desconfiar, no último sábado (27/2), os colecionadores mandaram os veículos — um Impala 1963 bege, um Impala 1963 conversível preto e um Impala 1964 azul — ao local indicado. Porém, só descobriram a mentira no dia seguinte, quando chegaram ao eventos e os carros não estavam no local.

No domingo (28/2), um grupo no WhatsApp disparou informações sobre os veículos furtados e os automóveis foram encontrados abandonados em ruas de São Paulo.

A revista Quatro Rodas divulgou nota sobre o caso:  “Os jornalistas de QUATRO RODAS evitam fazer contato direto com proprietários de veículos antigos cedidos para ensaios fotográficos - preferimos ser apresentados por uma pessoa conhecida pelo proprietário. Portanto, se você é dono de um carro clássico, tome cuidado com qualquer um que se apresente como repórter, de qualquer revista: procure os canais oficiais da editora - no nosso caso, email dos editores, telefones da redação, Facebook da marca. E sempre, sempre, peça referências a algum amigo que já realizou esse tipo de ensaio. Na dúvida, jamais tire os olhos de seu automóvel antigo, pelo tempo que for”.