Justiça condena assassino de repórter fotográfico a 21 anos de prisão

Redação Portal IMPRENSA | 11/12/2015 14:00
Ronaldo da Silva, réu confesso do assassinato do repórter fotográfico Paulo Jorge de Freitas, 57, do jornal A Tribuna, foi condenado a 21 anos, seis meses e seis dias de prisão na última quinta-feira (10/12).

Crédito:Reprodução
Assassino do fotógrafo foi condenado a mais de 21 anos de prisão

De acordo com o jornal, Silva foi julgado no Fórum de Itanhaém (SP) pelos crimes de ocultação de cadáver e furto, além de homicídio qualificado por asfixia. A tese do Ministério Público foi acolhida integralmente pelos jurados.

O crime ocorreu em setembro de 2013. O fotógrafo morava em Santos, mas foi até a cidade para tratar da documentação de uma chácara que vendera. Ele aproveitou a viagem para rever amigos, entre eles, uma mulher, que é irmã do acusado.

Freitas e Silva teriam bebido. Segundo a versão do réu, ele se desentendeu com o repórter fotográfico e o matou. O corpo foi encontrado apenas cinco dias depois, quando o assassino foi capturado e indicou o local.

Leia também