Polícia investiga assassinato de dois jornalistas no Maranhão

Redação Portal IMPRENSA | 25/11/2015 10:30
A Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP), órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública, investiga o assassinato dos jornalistas Ítalo Diniz e Orislandio Araújo — conhecido como Roberto Lano —, mortos a tiros no Maranhão.

Crédito:Reprodução/Facebook
Polícia acredita que morte de blogueiros estão relacionados a crimes políticos

Segundo o portal MeioNorte, o delegado titular da superintendência de homicídios, Leonardo Diniz, afirmou que equipes da SHPP apuram os casos. "Acredito que em pouco tempo vamos poder apresentar algo de concreto", declarou.

O delegado titular da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Thiago Bardal, acredita que as mortes estão diretamente relacionadas a crimes políticos. "Estes crimes são para intimidar, com certeza", disse.

No último sábado (21/11), o blogueiro e radialista Orislandio Timóteo de Araújo, de 37 anos, mais conhecido como Roberto Lano, foi morto a tiros no município de Buriticupu. Ele levou um tiro na cabeça disparado por um motoqueiro enquanto dirigia no centro da cidade.

Este é o segundo caso de um comunicador assassinado no estado neste mês. No último dia 13 de novembro, o blogueiro Ítalo Diniz, de 30 anos, foi morto com três tiros disparados de uma moto em Governador Nunes Freire, no extremo norte do MA.

Ameaças

Ao portal MeioNorte, o chefe de reportagem do jornal O Estado e blogueiro Daniel Matos relatou que recebe ameaças constantemente. "Geralmente estas ameaças ficam apenas no campo da intimidação, mas convivemos com isso", disse.

O jornalista Marco Aurélio D'Eça, editor de política do jornal e também blogueiro, avalia que os profissionais que possuem blogs despertam ainda mais ódio, até de autoridades, como a polícia e o poder judiciário.

"A gente se sente ameaçado o tempo inteiro. Há insinuações e intimidações. A polícia e o judiciário nos enxerga com raiva. Por isso, vemos certo descaso nas apurações destes crimes", completou o repórter.

Leia também