Fotojornalistas protestam contra decisão que culpou colega por levar tiro no olho

Redação Portal IMPRENSA | 30/09/2014 11:30
No último domingo (28/9), fotojornalistas protestaram contra a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que responsabilizou o fotógrafo Alexandro da Silveira pela perda do olho por tiro de bala de borracha disparado por um policial numa manifestação.

Crédito:Reprodução/Facebook
Alex Silveira recorrerá da decisão que o culpou por ser atingido por policial

De acordo com o ConJur, o ato foi organizado pela Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de São Paulo (Arfoc-SP) e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo em Paraty (RJ). Aproximadamente 200 pessoas usaram tapa-olho e estamparam em suas roupas a inscrição "Somos Todos Culpados", nome da campanha criada em solidariedade ao profissional.

O presidente da Arfoc-SP, Rubens Chiri, destacou que o protesto em Paraty foi realizado na tentativa de sensibilizar a opinião pública. Segundo ele, o objetivo é que a campanha se espalhe por todo o Brasil.

O caso

No dia 18 de maio de 2000, Alexandre Silveira acompanhava uma manifestação do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apoesp), na avenida Paulista (SP), quando a Tropa de Choque da PM usou bombas de gás e bala de borracha contra os manifestantes. O fotógrafo foi atingido no olho esquerdo, perdendo a visão.

O desembargador Vicente de Abreu Amadei, da 2ª Câmara Extraordinário de Direito Público do TJ-SP, entendeu que Silveira era culpado pelo acidente, pois, apesar de exercer sua profissão, não deixou o local ao se deparar com o confronto entre manifestantes e a Polícia Militar. O profissional recorrerá da decisão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). 

Leia também