"Mudei para o Brasil por causa da arquitetura de Niemeyer e acabei ilustrador", conta Gonzalo Cárcamo

Por Érika Valois/Redação Portal IMPRENSA | 03/10/2008 18:44

Gonzalo Ivar Cárcamo Luna, 54, é natural da cidade de Los Angeles, localizada no Sul do Chile. O ilustrador, que mora no Brasil desde 1976, conta que viu despertar seu interesse pelo desenho quando tinha por volta de onze anos de idade. "Passei a melhor parte do colégio rabiscando em cadernos e no quadro negro, fazendo caricaturas de colegas e professores que nem sempre aprovavam meu estilo", lembra.

Gonzalo Cárcamo
Putin

Antes de chegar ao Brasil, no entanto, o chileno via no curso superior de arquitetura seu futuro profissional e foi por causa da obra de Oscar Niemeyer que ele deixou sua nação. "Mudei para o Brasil por causa da arquitetura de Oscar Niemeyer e acabei ilustrador", revela.

Após dez anos em terras brasileiras, o caricaturista pensou em deixar o país, mas graças ao apoio do cartunista brasileiro Jaguar, Gonzalo resolveu ficar. "Isso de publicar na imprensa devo ao grande Jaguar. Foi ele que publicou minhas caricaturas no Pasquim [jornal semanal que circulava no Rio de Janeiro] em 1986, quando estava com as malas prontas para deixar o Brasil. Guardo profunda gratidão e admiração por ele, por Trimano, Miran e Paulo Caruso, que me ajudaram a projetar o meu trabalho por aqui", afirma.

Gonzalo Cárcamo
Sargento

Depois disso, o artista não parou mais e já desenhou para os principais jornais e revistas brasileiras como Istoé, Veja, Carta Capital, Época, e Folha de S.Paulo, além de já ter feito ilustrações para publicações estrangeiras como o jornal espanhol El Pais. O artista também já criou para livros no Brasil, na Espanha e no Chile.

Cárcamo, aliás, também é autor e já publicou cinco livros voltados para o público infanto-juvenil entre eles "O amigo fiel", adaptação de um conto de Oscar Wilde e "Thapa Kunturi", que este ano conquistou o prêmio de Melhor ilustração de Livro infantil pela FHLIJ (Companhia das Letras). "Tenho verdadeira paixão por escrever e ilustrar livros para crianças", confessa.

Gonzalo Cárcamo
Fernando Gabeira

Com uma obra vasta e variada, o artista agrega também em seu portfólio ilustrações publicadas em obras de autores como Garcia Márquez, Machado de Assis e Eça de Queiroz, além de participação em curtas para os estúdios da Walt Disney, pela produtora HGN, na época em trabalhava como cenarista de desenhos animados. Com o trabalho devidamente reconhecido, ele atribui o sucesso profissional ao seu esforço em realizar um bom trabalho. "Esse reconhecimento vem da dedicação pelo ofício que abracei. Tenho muito a aprender e por essa razão estudo e leio bastante. Fico feliz em fazer parte desta legião de ilustradores brasileiros. Amo este pais pela generosidade com que me acolheu", afirma.

Com trabalhos realizados nas áreas de ilustração, caricatura e aquarela - sua técnica preferida, Cárcamo prefere não definir seu trabalho, que segundo ele "tem influência de muitos artistas, principalmente dos mestres da pintura clássica como Corot, Velazquez, Sargent entre outros".

Gonzalo Cárcamo
Oscar Niemeyer

Apesar de considerar o mercado muito competitivo, o artista acredita que o Brasil valoriza o trabalho de ilustradores e caricaturistas como ele. No Chile, Cárcamo diz que há excelentes cartunistas como Palomo e Guillo, mas pondera que a ditadura militar, em algum momento, os afastou de seus ofícios. "As ditaduras não têm boa relação com a arte e muito menos com a democracia", afirma.

Atualmente Cárcamo dá aulas de aquarela num atelier no boêmio bairro da Vila Madalena, na capital Paulista, além disso, mantém um site para divulgar seu trabalho.