Coleguinha: O pub de Ricardo Rubim e as composições de Artúlio Reis

Redação Portal IMPRENSA | 08/11/2012 16:00
DAS REDAÇÕES À BOÊMIA

O Café com Gelo tem ambiente familiar, contemplado com música e bom gosto. Muitos de seus clientes o consideram “a perdição de suas vidas”, que os faz permanecer até tarde na boemia, mesmo que saibam do dever de acordar cedo para trabalhar no dia seguinte. Situado na zona norte do Rio de Janeiro, o pub é o capítulo mais recente da história de seus donos. Entre eles, o jornalista Ricardo Rubim.

Após abandonar o curso de letras em seu penúltimo ano e ingressar na faculdade de jornalismo, Ricardo teve sua primeira oportunidade no caderno de “Cultura” da redação do jornal Povo do Rio, por onde viveu longa passagem e transitou pelas editorias de “Política Internacional”, “Cidade” e “Polícia”.

Quando deixou o jornal, era então editor do caderno “Cotidiano”, onde se deparou com pautas relacionadas à intolerância religiosa. “Três meses depois, fui convidado a ser o coordenador de comunicação da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa”, recorda sobre o emprego que ainda mantém.

Há cerca de dois anos, ajudou seu amigo José Luiz Lopes em sua candidatura a deputado. “Como ele não alcançou o objetivo de se eleger, nos tornamos muito amigos. Então, ele resolveu alugar uma casa para a abertura do pub.” O jornalista admite cansaço e poucas horas de sono; entretanto, considera que a empreitada está dando resultados. “A luta é inenarrável, mas posso dizer que tem sido válida.”

O CANCIONEIRO DA COMUNICAÇÃO

O jornalista e compositor Artúlio Reis é a prova viva de que letra e música devem andar mesmo em harmonia.Interessado pelo universo musical desde menino, quando subia em seu pé de goiaba favorito para compor suas primeiras canções no interior da Bahia, o hobby ganhou ares de profissão quando Artúlio migrou para São Paulo em 1962, aos 20 anos, e começou a cursar a faculdade de jornalismo na USP.

Boêmio e bem-humorado, conseguiu estágio na assessoria de imprensa da gravadora RCA, hoje Sony Music.Na época, ele cuidou da divulgação de artistas como Beth Carvalho, Luiz Gonzaga, Sérgio Reis e nomes internacionais, como o grupo norte-americano Village People. Foi nesse período que o jornalista teve suas primeiras composições gravadas e, desde então, não parou mais de criar. Hoje acumula em seu currículo mais de 580 composições, sendo que mais de 100 foram gravadas.

Além do amigo pessoal Sérgio Reis, Artúlio pode ouvir suas composições na voz do eterno rei do baião, Luiz Gonzaga, Nelson Gonçalves, Olodum e muitos outros, mas nem por isso deixou a comunicação de lado. Ele, que atualmente dirige o Jornalismo da Central de Fontes, assessoria de imprensa que abriu ao lado da filha, já acumula 40 anos de profissão e quer ir além. “Escrevi uma peça de teatro que traz um humor diferente de tudo o que existe. Esta é mais uma forma que encontrei para manter minha mente ativa.”