RSF denuncia "cruzada midiática" instaurada pelo governo da Venezuela

Redação Portal IMPRENSA | 21/07/2009 10:32

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) repudiou, nesta terça-feira (21), as recentes medidas impostas pelo governo da Venezuela aos veículos de comunicação do país. Em nota, a entidade critica a ameaça de suspensão da TV Globovisión e da Rádio Caracas Television (RCTV).

"Espera o governo bolivariano que sua política traga unanimidade pondo travas ou censurando uma imprensa insuficientemente dócil? As leis que um governo muda para impor o que considera a única verdade possível é apenas ferramenta de uma cruzada midiática. Exigimos que o governo suspenda umas medidas contrárias aos princípios constitucionais fundamentais e a jurisprudência interamericana em matéria de liberdade de expressão", disse a RSF, citando o caso da Globovisión e da RCTV.

Recentemente, o governo da Venezuela anunciou que tomará medidas legais contra algumas empresas de comunicação do país, acusadas de promover "terrorismo midiático" contra o poder público. A emissora Globovisión, crítica ao governo bolivariano de Chávez, e a estação Rádio Caracas Television tiveram suas concessões ameaçadas pelo presidente venezuelano.

 Leia Mais 

 -RSF condena expulsão de jornalistas de emissoras de TV venezuelanas de Honduras