10 bordões inesquecíveis


Tão marcantes quanto à própria programação, os bordões marcaram e ainda marcam época na memória dos brasileiros. Desde narrações esportivas a apresentadores de programas de palco, a televisão e o rádio brasileiro ficaram marcados por revelarem pessoas talentosas, que, ao longo de suas carreiras, se caracterizaram por conta de alguma frase ou comentário de destaque.

Redação Portal IMPRENSA | Julho de 2015
 
 
   
 
Para esta matéria, IMPRENSA apresenta os 10 bordões inesquecíveis dos jornalistas brasileiros. 

MARCELO REZENDE: "CORTA PRA MIM"


Mais do que a presença certa em programas que abordam jornalismo policial diário, Marcelo Rezende é conhecido pelo bordão "corta pra mim", quando solicita ao câmera que direcione às imagens a ele. 



PAULO HENRIQUE AMORIM: "OLÁ, TUDO BEM?"


A forma cordial de iniciar seus programas e a entonação bem enfática fez o "olá, tudo bem" de Paulo Henrique Amorim se tornar um bordão bastante conhecido. 



BORIS CASOY: "ISSO É UMA VERGONHA"


"Isso é uma vergonha" foi a forma pela qual Boris Casoy achou de demonstrar seu descontentamento e discordância com algum fato noticiado. 



OSMAR SANTOS: "PIMBA NA GORDUCHINHA"


Osmar Santos implantou a alcunha "gorduchinha" para a bola de futebol. Nos tempos áureos do rádio, o jornalista usava o bordão para sinalizar quando um atleta havia finalizado a gol.



JOSÉ SILVÉRIO: "E QUE GOLAÇO!"


Ainda no rádio, outro nome bastante famoso é o de José Silvério. Sua forma inconfundível de narrar jogos e as frases famosas, como o "E que golaço!", na qual ressaltava um golaço, marcaram época e ainda são reproduzidas por vários boleiros de plantão. 



MILTON LEITE: "QUE FASE!"


Seguindo no futebol, Milton Leite trouxe para a TV um jeito inovador de narrar partidas futebolísticas. Com humor, Leite arranca risos dos telespectadores. Entre os bordões mais famosos destaca-se o "que fase!", no qual expõe sua visão – irônica – sobre uma jogada mal elaborada. 



JOSÉ LUIZ DATENA: "PÕE NA TELA"


O bordão ficou conhecido por ligar o momento em que Datena exige que "as imagens sejam colocadas na tela". Assim como Marcelo Rezende, o jornalista é conhecido por apresentar programas de jornalismo policial. 



GALVÃO BUENO: "BEM, AMIGOS"


Talvez um dos narradores mais famosos do Brasil, Galvão Bueno tem a marca registrada de iniciar todos os jogos com o famoso "Bem, amigos". O "rrrrrr" ressaltado também ficou bastante famoso na seleção de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo, Roberto Carlos e Roque Júnior. 



HEBE CAMARGO: "QUE GRACINHA"


O bordão da ex-apresentadora foi dito a milhares de brasileiros. E era carinhoso. Ela mesma definiu a frase como uma homenagem carinhosa. "Quando eu gosto muito de uma pessoa, ela vira uma gracinha". 



JÔ SOARES: "BEIJO DO GORDO"


Jô Soares nunca teve vergonha de seu peso. Ao contrário, sempre o usou a seu favor. Prova disso é o bordão "Beijo do gordo", enviado aos telespectadores ao final de todos os seus programas, que marcou a carreira do apresentador e a memória dos brasileiros. 





     
 
Portal IMPRENSA
Notícias Revista IMPRENSA IMPRENSA Mídia

IMPRENSA na TV

Eventos Oficinas Anuncie Contato
Home Home Home Programas Home Cursos Home Editora
Opinião Assine Edição do Mês Canal no Youtube Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo Conheça + Portal IMPRENSA Redação
Especiais Edição do Mês Prêmio SEBRAE de Jornalismo Descontos Revista IMPRENSA
PR Newswire Acervo IMPRENSA Troféu Mulher IMPRENSA Regulamento IMPRENSA Mídia
Fórum Água em Pauta Contato
Fórum Liberdade de Imprensa
Fórum AIDS e o Brasil
Mídia.JOR
 
Imprensa Editorial Ltda.
R. Camburiú, 505 - 2º andar - Alto da Lapa | São Paulo/SP CEP: 05058-020
www.portalimprensa.com.br | Tel 011 3729-6300/4800