ABI repudia ataques ao padre Júlio Lancellotti após vídeo de deputado de SP

Redação Portal Imprensa | 16/09/2020 11:15

Entidades, artistas, políticos e intelectuais, entre eles, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), repudiaram os ataques praticados contra o padre Júlio Lancellotti, que realiza ações beneficentes junto a moradores de rua em São Paulo. 

Crédito: Reprodução / TV Brasil


O coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo registrou na terça-feira (15) um boletim de ocorrência por ameaça. Em um vídeo no Twitter, ele conta que foi xingado por um motociclista enquanto fazia o atendimento de alguns moradores de rua, no Centro.


Os ataques começaram, segundo Lancelotti, após uma campanha de difamação pelo deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo Arthur do Val (Patriota), conhecido pelo apelido de Mamãe Falei.


“Estava aqui na praça com os irmãos de rua e passou uma moto por aqui e o cara falou: ‘padre filho da puta que defende noia. Depois dos ataques de alguns candidatos à prefeitura contra mim, eu estou cada vez mais em risco. Então quero deixar claro: se me acontecer alguma coisa, se eu for atingido por alguém vocês sabem de quem é a culpa, de quem cobrar”, relatou no vídeo. Assista:


Personalidades como Leonardo Boff, Bruno Gagliasso e entidades como a ABI deram apoio ao padre. A ABI emitiu nota em que repudia as ameaças e ofensas a Lancellotti, que classifica como “um dos mais representativos humanistas brasileiros”.


“Como vigário episcopal do Povo da Rua, da Arquidiocese de São Paulo, o padre Júlio está à frente de vários projetos municipais de atendimento à população carente, como o programa “A Gente na Rua”, formado por agentes comunitários de saúde, ex-moradores de rua. Para a ABI, é um dever dos democratas defender e proteger a integridade física e a vida do padre Júlio Lancellotti, premiado por diversas instituições em reconhecimento à sua atuação em defesa dos direitos humanos”, afirma o texto assinado por Paulo Jeronimo, presidente da entidade.

O deputado Arthur do Val, o “Mamãe Falei” é youtuber e integrante do Movimento Brasil Livre. Em vídeos, ele chama o padre de "cafetão da miséria" e critica setores da igreja que atuam na região da Cracolândia.


"O que o padre Lancellotti faz é deplorável. A Igreja Católica tem uma linda história e não pode ficar a mercê de um cafetão da miséria. Nunca ameacei ninguém, nem ele. Ele é uma das maiores farsas do Brasil, em breve vocês saberão! Vou desmascarar esse Padre", escreveu no Twitter.


Por meio da assessoria de imprensa, o deputado afirmou que nunca incitou "nenhum tipo de violência contra ele [Lancellotti] e repudio quem o fizer. (...)Reitero o que disse antes, ele é um cafetão da miséria. Apoiador de movimentos que invadem propriedade privada. Muito em breve eu vou desmascará-lo".


Também nessa terça-feira (15), o movimento “Direitos Já! Fórum pela Democracia” realizou um ato nacional virtual que abordou a onda de ações autoritárias e tentativas de fragilizar a democracia por meio de Fake News, o negacionismo científico, ataque ao pensamento crítico e às universidades, e a rede de desinformação com objetivo de atacar reputações de intelectuais, políticos e movimentos sociais e sindicais.


Foram debatidas alternativas para o enfrentamento desses problemas. Os participantes defenderam rigor no cumprimento da Constituição Federal, ampliação dos espaços de diálogo social e a defesa da soberania dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.


Leia também:


Crítica à flexibilização das regras de posse de armamentos torna comentarista da Cultura vítima de perseguição judicial


Na ONU, Bachelet volta a criticar Brasil por ataques à imprensa