Pesquisa do Instituto Reuters mostra que aumentou o número de pessoas que evitam notícias sobre a pandemia de coronavírus

Redação Portal IMPRENSA | 28/05/2020 10:01
Em março e abril, o Reino Unido obteve um aumento no consumo de notícias sobre a pandemia do coronavírus em diferentes mídias. No entanto, pesquisa recente do Instituto Reuters mostra que o aumento inicial de interesse por informações sobre a covid-19 foi seguido por um aumento significativo no número de pessoas que evitam notícias.

O estudo foi realizado no período de 7 a 13 de maio de 2020 e apontou que o número de pessoas que evitam notícias cresceu de 15% em meados de abril para 22% em meados de maio.

Afeta o humor
Segundo a pesquisa, a maioria que sempre ou frequentemente evita notícias (86%) está tentando evitar pelo menos uma parte do tempo, e a maioria se preocupa principalmente com o efeito que isso afeta seu humor (66%). 

O total de 33% dizem que se preocupam muito com as notícias e 28% dizem que evitam notícias porque sentem que não há nada que possam fazer com as informações.

Os entrevistados afirmaram que “As notícias atualmente me fazem sentir incrivelmente estressada” e “Eu sou bombardeado com notícias negativas”. Um terço dos entrevistados (32%) disse que evita as notícias porque não confia nelas.

Apenas 5% das pessoas disseram que evitam notícias porque não estão interessados nelas. Quando tiveram a oportunidade de fornecer outros motivos para evitar notícias, muitos entrevistados mencionaram que as notícias são muito repetitivas hoje em dia: “Notícias são sempre as mesmas” ou “Muitas notícias são repetidas e especulativas”.

Crédito:Divulgação Instituto Reuters


Perfis
A prevenção de notícias é distribuída igualmente entre diferentes grupos sociais, com pequenas diferenças baseadas em renda, educação e orientação política. No entanto, encontramos algumas diferenças significativas de idade e sexo. 

As pessoas com idades compreendidas  entre os 25 e os 44 anos (algumas das quais são pais com filhos pequenos) têm maior probabilidade de dizer que sempre ou frequentemente evitam notícias (28%) do que os adultos com menos de 25 anos (19%) e acima de 45 (19%). As mulheres (26%) também têm maior probabilidade de evitar notícias do que os homens (18%).

Mídias
A grande maioria (78%) evita notícias na televisão e 55% evita olhar para sites de notícias ou aplicativos. Cerca de metade dos que evitam as notícias (49%) evitam as notícias que veem nas mídias sociais (por exemplo, Facebook ou Twitter) e 37% ignoram as notícias enviadas pelas pessoas por e-mail ou aplicativos de mensagens como o WhatsApp.

A pesquisa completa pode ser acessada aqui.
 
Bom trabalho
Outra pesquisa do Instituto Reuters revelou como as pessoas se sentem em relação à forma como as organizações de notícias estão respondendo à pandemia de coronavírus no Reino Unido.

O estudo mostrou que mais de um terço (37%) acha que a mídia está fazendo um bom trabalho ao responder ao coronavírus. Este valor é superior ao valor equivalente para as empresas de tecnologia (15%).
 
A pesquisa completa pode ser acessada aqui.