Governo inclui EBC em programa de privatização

Redação Portal IMPRENSA | 22/05/2020 19:05
O governo federal incluiu a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI). O objetivo é possibilitar é que a estatal seja objeto de estudos técnicos e avaliação de alternativas de parceria com a iniciativa privada.
Crédito: Marcelo Casal/Agência Brasil


Criada em 2007, a EBC é gestora da TV Brasil, Agência Brasil, Radioagência Nacional, Rádio MEC AM, Rádio MEC FM, Rádio Nacional do Alto Solimões, Rádio Nacional da Amazônia, Rádio Nacional de Brasília AM, Rádio Nacional FM de Brasília e Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

Segundo a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), a qualificação da EBC no PPI significa um desrespeito à Constituição, um ataque ao direito à informação da sociedade brasileira e uma redução da transparência do Poder Executivo.

Ela também presta serviços de comunicação governamental por meio da TV BrasilGov e do programa de rádio A Voz do Brasil. “A Carta Magna prevê em seu Artigo 223 a existência dos sistemas público, privado e estatal. A EBC foi criada para cumprir este mandamento, mas nada mais é do que a repetição de uma modalidade de comunicação que existe no mundo inteiro e que é conhecida por sua qualidade, autonomia e criatividade, como nos casos da BBC do Reino Unido, PBS nos Estados Unidos, RTP em Portugal e NHK no Japão. A mídia pública foi criada nas primeiras décadas do século XX para atender às demandas por informação e cultura dos cidadãos, que não conseguem ser garantidas por empresas em busca de lucro”, diz a entidade.

Leia também: