Garantia do exercício profissional sofre crescentes ameaças no Alvorada

Redação Portal IMPRENSA | 15/05/2020 12:39
Diante do aumento das ameaças a jornalistas que atuam no Palácio da Alvorada (onde o presidente fala diariamente aos fãs no famoso "cercadinho" e recentemente mandou um jornalista calar a boca, no pior estilo Newton Cruz), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) elaborou ofício exigindo seis medidas urgentes de proteção aos profissionais de imprensa.

O documento com as demandas foi enviado ao Gabinete de Segurança Institucional, à Secretaria de Governo e à Secretaria Especial de Comunicação Social.
Bolsanaro segura print da capa da Folha no dia que mandou jornalista calar a boca

Entre as medidas solicitadas está o banimento de acesso a apoiadores de Jair Bolsonaro que já agrediram física ou verbalmente profissionais de imprensa, a instalação de câmeras de segurança na portaria de entrada e demais locais de trânsito de pessoas e a adoção de acessos diferenciados para apoiadores do presidente e jornalistas. 

O SJPDF também exige garantia de que os apoiadores de Bolsonaro não entrem na sala reservada para a imprensa, onde tem havido clima crítico de ameaça e hostilidades. 

Com o acirramento da atmosfera de violência, outro local do Alvorada que tem se revelado de grande vulnerabilidade para os profissionais de imprensa é o estacionamento, onde "já houve casos de perturbação por parte de apoiadores no momento em que jornalistas, posicionados na área reservada, estavam ao vivo na TV".

Caso providências não sejam tomadas, o SJPDF estuda medidas judiciais e ressalta que "a garantia do pleno exercício profissional do jornalismo não pode seguir sendo ameaçada dessa forma".