Ex-senador defende apedrejamento de jornalistas que divulgarem números de morte por covid-19

Redação Portal IMPRENSA | 14/05/2020 17:33
Em entrevista ao programa Correio Debate, da rádio paraibana Correio, o empresário e ex-senador Roberto Cavalcanti afirmou nesta quinta (14) que jornalistas e radialistas deveriam ser apedrejados por divulgar números de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil. 

"Tem determinadas emissoras que dão placar de quantos morreram no país. Parece que são gols da seleção do Brasil. 'Hoje, 10 mil gols, batemos o recorde.' Isso é uma vergonha. Isso é um país que deveria ter vergonha na cara. O jornalista, o radialista que fizesse um negócio desses deveria ser apedrejado na rua", disse.

Dono do Sistema Correio de Comunicação, ao qual pertence a rádio Correio, o empresário foi senador pelo Republicanos e acabou pedindo desculpas pela declaração.

Mas seguiu criticando as autoridades que defendem o isolamento social como forma de minimizar os efeitos da pandemia.

"Talvez me exaltei, peço desculpas. A minha forma de conduzir no dia a dia é da parcimônia, de agregar, de conquistar. Mas tem momentos em que você assiste ao assassinato de pessoas, ao assassinato de empresas", afirmou.

"Isso não é possível. Não é possível que o Brasil não se revolte contra isso e deixe de lado o problema de ser de um lado ou de outro da política. Já falei demais, peço perdão mais uma vez", concluiu.