Jornalista da Istoé com quadro gripal é demitido por fazer home office, diz SJSP

Redação Portal IMPRENSA | 19/03/2020 10:45
Os Sindicado dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP) publicou um artigo em seu site afirmando que a revista Istoé demitiu na sexta (13) o editor de cultura Luís Antônio Giron, que estava trabalhando de casa devido a quadro de infecção das vias respiratórias atestado por médico. 

Giron teria se afastado da redação duas semanas depois de voltar de Dubai, onde esteve a trabalho. À redação do SJSP, o jornalista afirmou que teve medo de "contagiar as pessoas no ambiente fechado da redação”.
Crédito: Reprodução Knight Center
Comunicado da necessidade de home office, o diretor de redação da Istoé, Germano Oliveira, teria enviado a seguinte mensagem a Giron: “Gripe nunca foi ameaça a ninguém. Eu mesmo trabalhei gripado a semana passada inteira.”

Na troca de mensagens, Germano teria acrescentado: “Não terá home office, e vamos resolver logo a sua situação. Boce [Você] está fora certo?”

Paulo Zocchi, presidente do SJSP, disse que é intolerável que se demita um profissional que segue as orientações oficiais dos órgãos de saúde e decide trabalhar de casa por estar com um quadro gripal. 

"O jornalista mostra uma responsabilidade coletiva que a Editora Três, por suas práticas, jamais demonstrou”, acrescenta Zocchi, em referência à longa lista de ações trabalhistas contra a empresa responsável por Istoé.

Sem vínculo reconhecido, o agora ex-editor de cultura da revista também deve entrar com processo judicial contra a Editora Três.