Relatora da CPI das Fake News pede à PGR investigação sobre falso testemunho

Redação Portal IMPRENSA | 13/02/2020 16:21
A deputada Lídice da Mata, relatora da CPI das Fake News, pediu ao Procurador-Geral da República, Augusto Aras, a abertura de uma investigação contra Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, por falso testemunho na comissão.
Crédito:Jane de Araújo/Agência Senado


Ouvido na CPI na terça-feira (11/02), Hans disse que a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha, teria se insinuado para ele em troca de informações para uma reportagem. Patrícia é  responsável por uma série de reportagens sobre o disparo de mensagens em massa via WhatsApp nas eleições. 

Durante a apuração, Patricia falou várias vezes com Nascimento. No começo, ele disse que não sabia quais campanhas se valeram da fraude, mas mostrou-se solícito e respondeu às perguntas da repórter. 

No mesmo dia, a Folha publicou novas reportagens que comprovaram, com cópias de mensagens, áudios e planilhas, as mentiras ditas pelo ex-funcionário da Yacows na comissão.

Por conta disso, o presidente da CPI, senador Angelo Coronel, apresentou um requerimento pedindo a reconvocação de Hans River do Nascimento para que ele seja submetido a novos questionamentos. Caso fique comprovado que prestou falso depoimento na comissão, poderá até ser preso.

Leia também:
Nova onda de ataques à jornalista Patricia Campos Mello é "abominável", diz CIDH
Entidades civis de diferentes posicionamentos e mais de 1800 mulheres jornalistas se solidarizam a Patricia Campos Mello