Falta de protestos a banimento da CNN de almoço de Trump com imprensa gera críticas

Redação Portal IMPRENSA | 06/02/2020 13:35
A falta de protestos e boicotes à exclusão da CNN de almoço em off com jornalistas realizado na terça (4) pela Casa Branca vem gerando críticas.

Informal, o encontro é uma tradição americana e serve para antecipar à imprensa o discurso que o presidente fará ao Congresso, conhecido como State of Union.  

"Nenhuma organização de notícias boicotou o evento para demonstrar solidariedade à CNN, em contraste com os jornalistas britânicos que abandonaram uma coletiva sobre o brexit promovida pelo premiê Boris Johnson na última segunda, após saberem que alguns veículos tinham sido barrados", escreveu o repórter David Bauder para o Daily Journal, de Nova York.   
Falta de reações inspirou comparações com o abandono de coletiva sobre o brexit por jornalistas britânicos

Bauder também criticou a falta de reação da própria CNN no caso, que não teria emitido nenhum tipo de comentário de repúdio a seu banimento do evento.

Em 2019, os jornalistas da CNN Anderson Cooper e Wolf Blitzer participaram da reunião. Este último, por sinal, era um dos frequentadores mais antigos do evento, ao qual comparecia há 20 anos.

O discurso de Trump ao Congresso americano ocorreu na própria terça e foi marcado por sua recusa em cumprimentar a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi.

Além de destacar a economia como principal ponto da campanha de reeleição e alegar que está construindo a “mais próspera e inclusiva sociedade do mundo”, Trump homenageou o radialista conservador Rush Limbaugh com a Medalha Presidencial de Liberdade, honraria máxima concedida para um cidadão civil.