Inscrições abertas para curso sobre cobertura jornalística de trabalho escravo

Redação Portal IMPRENSA | 05/02/2020 17:16
Vai até o dia 13 de abril o prazo para inscrição no curso Como Cobrir Tráfico Humano e Escravidão Moderna, que a Fundação Thomson Reuters promoverá em São Paulo, entre os dias 15 e 19 de junho.  

Voltado a jornalistas brasileiros com a partir de três anos de experiência, o curso é gratuito e será realizado pela segunda vez no país. Os custos com transporte e alojamento para jornalistas de fora de São Paulo serão cobertos pela Fundação.

Texto sobre o curso disponível no site da Thomson Reuters informa que entre 21 milhões e 36 milhões de pessoas estão sujeitas à escravidão moderna em todo o mundo. A atividade movimenta mais de 150 bilhões de dólares/ano e a crise global de refugiados vem estimulando a prática. 

Crise de refugiados acentuou prática do trabalho escravo, mas cobertura do tema é cheia de clichês
"Ainda assim, uma grande parte da cobertura sobre tráfico humano e trabalho forçado é marcada por clichês, mitos e equívocos. Falta, muitas vezes, uma compreensão abrangente das causas deste flagelo e dos instrumentos para o combater", prossegue o informativo da Thomson Reuters sobre o curso.

Para realizar a inscrição, é preciso apresentar dois exemplos de trabalhos relevantes acompanhados de um resumo de até 250 palavras em inglês. O candidato também deverá enviar uma carta da empresa para a qual trabalha, comprometendo-se a publicar possíveis reportagens desenvolvidas ao final do curso. Dúvidas sobre a candidatura também podem ser enviadas para o e-mail  
TRFMedia@thomsonreuters.com.

Em entrevista à Abraji, Fábio Teixeira, correspondente da Fundação Thomson Reuters no Brasil que cobre questões relacionadas ao tráfico humano e trabalho escravo, explicou que os repórteres interessados na cobertura do tema precisam ir além das informações oficiais divulgadas pelo governo, e produzir reportagens investigativas de alto impacto e ampla disseminação.