Papel da mídia no impeachment de Trump é discutido por estudantes americanos

Redação Portal IMPRENSA | 23/01/2020 17:06
A cobertura jornalística do processo de impeachment do presidente Donald Trump no senado americano vem sendo debatida por estudantes de comunicação e jornalismo de várias universidades dos EUA. 

Na Point Park University, em Pittsburgh, Pensilvânia, 50 estudantes de relações públicas, jornalismo e ciências políticas se reuniram na terça (21) para participar do evento "Analyzing Impeachment in the Media”.  

Em entrevista a Paul Guggenheimer, do site de notícias Trib Alive, Andrew Conte, diretor do Centro de  Mídia da Point Park, contou que levantou perguntas para os participantes do evento sobre como os diferentes veículos formataram sua cobertura para atrair público. 

Estudantes da Point Park University, da Pensilvânia, discutem cobertura da mídia no impeachment de Trump 

Profissional de relações públicas, Diego Febres-Cordero, 26, expressou preocupação com a hostilidade dirigida pela senadora republicana Martha McSally a Manu Raju, correspondente da CNN no Congresso.

Ao perguntar se o senado deveria considerar nova evidência como parte do julgamento de impeachment, Raju ouviu de McSally que ele era um "liberal" e que ela não falaria com ele. 

Muitos estudantes disseram que perderam a fé no sistema de freios e contrapesos dos EUA quando o professor de jornalismo Kelly Wildling perguntou a respeito da possibilidade dos senadores mudarem de posição ao longo do processo. Para eles, os políticos não têm abertura de mentalidade. Pelo contrário, agem de acordo com premissas pouco flexíveis.