Notícias nos principais jornais impactam negativamente o Indicador de Incerteza da Economia da FGV em 2019

Redação Portal IMPRENSA | 14/01/2020 14:41
No Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br), divulgado pela Fundação Getulio Vargas em dezembro de 2019, o componente de Mídia, subiu 8,8 pontos, para 112,4 pontos, contribuindo em 7,7 pontos para a alta da Incerteza.
Crédito:Reprodução / site Fundação Getulio Vargas

O IIE-Br busca mensurar a incerteza da economia brasileira a partir de informações coletadas dos principais jornais do país, do Índice Ibovespa e das expectativas do mercado financeiro acerca de variáveis macroeconômicas. Na literatura econômica, choques de incerteza podem gerar impactos negativos tanto nas empresas, desmotivando investimentos e produção, quanto nas famílias, diminuindo a propensão ao consumo. Além de existirem numerosas evidências empíricas desses resultados, outro impacto estudado recentemente é o da diminuição da eficiência da política monetária.

Segundo Anna Carolina Gouveia, economista da FGV IBRE, “apesar das notícias positivas da conjuntura brasileira nos últimos meses, ainda existem dúvidas em relação ao crescimento sustentável da economia doméstica”. E lembra a influência das condições globais pouco animadoras para 2020, “que parecem impedir que a incerteza permaneça em níveis mais baixos”. 

A economista também reforça que a redução mais expressiva da incerteza em 2020 “vai depender da continuidade do crescimento da economia interna e de boas notícias no cenário externo”. 

Leia também