Jornalistas lançam livros sobre personagens da história brasileira

Kassia Nobre | 09/01/2020 10:08
Personagens importantes da história brasileira tiveram suas vidas detalhadas em livros recém-lançados por jornalistas. Confira a lista de obras selecionadas pelo Portal IMPRENSA.

Irmã Dulce

A jornalista Karla Maria escreveu o livro-reportagem Irmã Dulce (Paulus). A obra conta a história da santa brasileira que dedicou sua vida aos pobres. A vida, os passos e os feitos de Irmã Dulce são reconstruídos a partir de registros históricos, de um trabalho de apuração e de escuta atenta das testemunhas vivas que conviveram com a freira que dedicou sua vida a amar e servir. Como poucos e à frente de seu tempo, Irmã Dulce denunciou a miséria com seu trabalho silencioso. Articulou suas influências religiosas e políticas na aplicação de iniciativas que se tornaram políticas públicas e que ainda hoje asseguram direitos aos cidadãos. A autora busca envolver os leitores numa viagem de apuração pela Cidade Baixa, em Salvador, e pela história.
Crédito:Divulgação Paulus



José do Patrocínio

O jornalista Tom Farias apresenta José do Patrocínio, a pena da Abolição (Kapulana). O livro detalha  a vida de José do Patrocínio, personagem brasileira de grande relevância histórica, cultural e política. Escritor e jornalista negro, destacou-se como ativista político dos movimentos Abolicionista e Republicano no país, que culminaram com a Abolição da Escravatura (1888) e com a Proclamação da República (1889). A obra conta ainda com prefácio de Laurentino Gomes e uma série de fotos da época, de José do Patrocínio e do Rio de Janeiro.

Crédito:Divulgação Kapulana




Castello Branco 

O jornalista Lira Neto escreveu sobre o primeiro presidente da ditadura instaurada em 1964, Humberto de Alencar Castello Branco. O livro Castello (Companhia das Letras) conta a história de um personagem-chave da história do Brasil contemporâneo. Seu curto mandato ainda hoje enseja reavaliações e revisionismos. Exercendo o poder quase absoluto, Castello lançou as bases do regime de força que atormentou o país durante duas décadas. Ora visto como monstruoso e implacável, ora como tolerante e sensato, o estrategista do golpe civil-militar continua a levantar polêmicas, mas, contraditoriamente, sua trajetória tem sido pouco estudada. 
Crédito:Divulgação Companhia das Letras