Programa da TV Brasil tem trecho cortado sobre prisão de jornalistas de O Pasquim

Redação Portal IMPRENSA | 08/01/2020 14:51
Nesta segunda-feira (8), o programa Fique Ligado, da TV Brasil, destacou a exposição o “O Pasquim 50 anos”, que está em cartaz no Sesc São Paulo, só que foi suprimido um trecho que mencionava a prisão de jornalistas do semanário durante a ditadura militar. 

O episódio, conhecido como a “Gripe do Pasquim” e que aconteceu em 1970, refere-se à prisão de nove jornalistas devido a uma charge que desagradou os censores, pois fazia uma paródia do quadro “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, com um balão sobre a cabeça de Dom Pedro I que dizia: “Eu quero mocotó!”.
Crédito:Reprodução / Youtube

Na reportagem original, produzida pela sucursal da TV Brasil em São Paulo, estavam presentes toda a história relativa ao caso e uma fala de um dos curadores da exposição sobre o autoritarismo na ditadura, só que estes trechos foram excluídos em Brasília, onde é feita a edição final e apresentação do programa. Conforme destaca nota de O Globo, também foi excluída a declaração de um visitante da exposição sobre a falta que faz um jornal como o Pasquim. 

Em nota, a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação) afirma que a edição da matéria seguiu critérios de tempo compatíveis com o programa Fique Ligado, “que prevê reportagens curtas e dinâmicas. O texto ainda afirma que “a empresa reitera o zelo pela produção de um jornalismo preciso, isento e de qualidade”. Veja abaixo o programa. 


Este não é um caso isolado. Em novembro de 2019, um grupo de jornalistas da EBC, mantenedora da TV Brasil, enviou uma carta à direção questionando a demora em noticiar o pronunciamento de Jair Bolsonaro sobre as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. “Exigimos respostas da direção e repudiamos mais uma vez a censura a que estão submetidos os veículos da empresa, que os impede de noticiar questões relevantes como essa”, diz o documento.

Leia também