Jornalista peruana que investiga organização católica é intimidada judicialmente

Redação Portal IMPRENSA | 08/01/2020 13:07
Os jornais El Comercio e La República repudiam o assédio a jornalista peruana Paola Ugaz, que enfrenta cinco ações por difamação, e teve seu e-mail e telefone hackeados. A ANJ (Associação Nacional de Jornais) define como uma brutal ação sistemática, que inclui perseguição judicial, e assédio nas redes sociais, numa tentativa de impedir a jornalista de publicar novas informações sobre a investigação que desenvolve, desde 2010, a respeito de abusos na organização católica Sodalício de Vida Cristã, fundada em 1971, no Peru, por Fernando Figari. Recentemente, sua investigação está focada nas transações financeiras da organização.

Em 2015, Paola e o jornalista Pedro Salinas publicaram o livro Mitad Monjes, Mitad Soldados, sobre os abusos no Sodalício de Vida Cristã, e foram processados pelo arcebispo de Piura e Tumbes, José Antonio Eguren Anselm. Em abril de 2019, as queixas foram retiradas, mas Salinas já havia sido condenado e sentenciado a uma pena de prisão de um ano e uma multa considerável.

No início deste ano, o presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), Christopher Barnes e o presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP, Roberto Rock, expressaram preocupação acerca do “sistemático assédio legal” no Peru, que consiste na metodologia de intimidação de jornalistas por meio de ações judiciais. Rock ainda reforça que “a criminalização dos delitos contra a honra no Peru têm um efeito intimidador, que afeta o livre exercício do jornalismo”.
Crédito:Reprodução / Twitter

O Conselho da Imprensa Peruana defende a despenalização dos delitos de difamação contra a honra, para que os jornalistas possam dar andamento a investigações sem acabar atrás das grades. Paola declarou recentemente ao El Comercio que “se fosse uma jovem jornalista, certamente se assustaria [com as intimidações] e não investigaria mais”. 

Paola segue adiante com a investigação financeira sobre o Sodalício e publicará um livro em meados de 2020.

Leia também