Bolsonaro fecha 2019 com 116 ataques contra a imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 02/01/2020 13:02
Em seu primeiro ano à frente do país, o presidente Jair Bolsonaro teve uma relação conturbada com a imprensa. Segundo monitoramento feito pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Bolsonaro fez 116 declarações contra a imprensa em 2019. Foram 11 ataques a jornalistas, e 105 tentativas de descredibilização da imprensa.
Crédito: Reprodução


Em dezembro, foram feitas cinco tentativas de descredibilização, quatro delas pelo Twitter. No dia 13 de dezembro, Bolsonaro postou a capa do Estadão, com o comentário “A rendição da imprensa. O Brasil vai bem, apesar dela. Bom dia a todos!”.

O monitoramento inclui apenas os pronunciamentos registrados no Twitter e as entrevistas e discursos transcritos no site do Planalto. 

“Nossa principal preocupação é com a democracia e as instituições democráticas, entre elas as que convencionamos chamar de imprensa. Também nos preocupa a questão objetiva da segurança dos jornalistas. Quando um chefe de Estado ataca sistematicamente profissionais e veículos de imprensa, incentiva que seus apoiadores façam o mesmo, inclusive com intimidação, ameaças e até agressões”, diz Maria José Braga, presidente da Fenaj.

Leia também:
"Em 2020, podemos esperar uma enxurrada de desinformação", diz Natália Leal, da Lupa
Irritado com pergunta, Bolsonaro diz que repórter “tem uma cara de homossexual"