Jornalistas de diferentes países assinam declaração em favor de Julian Assange

Redação Portal IMPRENSA | 10/12/2019 09:43

Centenas de jornalistas de diferentes partes do mundo assinaram uma declaração internacional em defesa do fundador do Wikileaks, Julian Assange, que está na solitária de uma prisão de alta segurança em Londres, depois de ter permanecido quase 7 anos recluso na Embaixada do Equador situada na mesma cidade. 

Crédito:Daniel Leal-Olivas / AFP /CP



Assange está à espera de um julgamento que será realizado em fevereiro de 2020 para decidir sobre um pedido de extradição feito pelos EUA, onde é acusado de conspiração por se infiltrar em sistemas de informação governamentais e pode ser condenado a 175 anos de prisão por ter difundido na plataforma Wikileaks milhares de documentos militares principalmente sobre a atuação dos americanos no Afeganistão e no Iraque. 

Os documentos, chamados de Diários da Guerra, demonstrariam que o governo dos EUA cometeu crimes de guerra e enganou a opinião pública sobre suas atividades nos dois países. 

Na época dos vazamentos o Wikileaks se associou a um grande número de meios de comunicação de todo o mundo, que divulgaram os Diários da Guerra. 

Um desses veículos foi o jornal espanhol Público, que participou da cobertura de 2012 a 2016. Em reportagem sobre a declaração internacional em defesa de Assange, o veículo lembrou que as ações legais em marcha contra o fundador do Wikileaks representam um "precedente extremamente perigoso para jornalistas, meios de comunicação e liberdade de imprensa".


Leia também: