Usuários se sentem mais confortáveis em compartilhar fake news vista repetidamente

Redação Portal IMPRENSA | 09/12/2019 18:47
As pessoas ficam menos criteriosas com fake news quando são expostas a esse tipo de desinformação repetidamente, pela segunda, terceira ou quarta vez. É o que revelou um estudo da Universidade do Sul da Califórnia realizado com 2500 pessoas e publicado no jornal Psychological Science. 

Crédito:Reprodução
Como parte do estudo, os pesquisadores solicitaram que os participantes classificassem quão antiético ou aceitável julgavam a divulgação de notícias falsas. Também foi medida a probabilidade de que os participantes dessem like, compartilhassem, bloqueassem ou deixassem de seguir a pessoa que postou a mentira. 

De acordo com os resultados obtidos, os participantes classificaram as manchetes que viram mais de uma vez de forma menos antiética do que as manchetes que viram pela primeira vez. 

Os participantes também disseram que eram mais propensos a "curtir" e compartilhar um título visto anteriormente e menos propensos a bloquear ou deixar de seguir a pessoa que o publicou. No geral, poucos classificaram um título visto anteriormente como mais preciso. 

Os pesquisadores concluem alertando que o fato de os internautas se sentirem mais confortáveis em compartilhar informações erradas só porque as viram antes representa um desafio extra para diminuir a quantidade de desinformação que trafega no mundo hoje, principalmente nas plataformas de redes sociais e aplicativos de trocas mensagens.

Leia também:
YouTube quer aproximar seus usuários das agências de checagem de fatos
Pessoas compartilham fake news por concordar com conteúdo