Boicote de Crivella ao O Globo viola liberdade de expressão, diz Abraji

Leandro Haberli | 02/12/2019 16:47
A decisão de não mais atender aos jornalistas do jornal O Globo, anunciada pelo prefeito Marcelo Crivella e pelo subsecretário de Comunicação, Daniel Pereira, viola os direitos fundamentais de liberdade de expressão e de acesso a informações, além princípios da impessoalidade e da publicidade da administração pública, segundo nota emitida pela Abraji. 

Crédito:Reprodução
Segundo a entidade, o agente público tem por obrigação dar satisfações à sociedade sobre suas ações e omissões. “Marcelo Crivella, Daniel Pereira e a equipe de comunicação da Prefeitura do Rio de Janeiro devem voltar atrás na absurda medida ou ser responsabilizados caso a concretizem”, diz a nota.

No domingo (01/12), Crivella divulgou um texto e um vídeo em sua rede social e  na da prefeitura comunicando que não responderá mais as demandas para reportagens de O Globo. 

“O sistema de comunicação da prefeitura me fez um pedido que eu compreendi. Eles estão indignados com O Globo. Que não é mais jornal, não faz jornalismo, é um panfleto político. Fazendo militância, de todas as formas, através de ameaças e chantagens, que a prefeitura ceda as suas ambições de publicidade. Portanto, a partir de agora, a prefeitura do Rio de Janeiro ignora todos os pedidos desse panfleto político. Todos os demais jornais do país terão o prestígio, a resposta, menos O Globo”, afirmou o prefeito.

Na continuação do vídeo, Daniel Pereira aparece em uma reunião assessores da prefeitura dizendo que não vai mais "parar a equipe'' para atender a demandas do jornal. 

“Ontem, eu recebi, só do Globo, oito pendências negativas. É isso mesmo? Eu vou continuar parando a equipe toda para trabalhar para O Globo? A partir de hoje, a gente não responde mais o Globo”, disse Daniel.

Em nota, o jornal O Globo disse lamentar a decisão do prefeito. "O Globo lamenta a decisão do prefeito Marcelo Crivella de, a partir de agora, ignorar os pedidos de informação feitos pelo jornal.  A despeito de decisão de Crivella, o jornal seguirá solicitando informações e dando espaço à prefeitura antes de publicar reportagens sobre a gestão municipal e suas autoridades — por respeito a nossos leitores, nossos princípios editoriais e ao bom jornalismo”, diz a nota. 

Nesta segunda-feria (02/12), Crivella voltou à carga em novo vídeo, com ofensas e ameaças  aos repórteres Chico Otávio e Thiago Prado por “infâmia (sic), calúnia e difamação”. 

“Seria mais adequado a um agente público responder aos questionamentos legítimos de profissionais da imprensa e dar sua versão dos fatos que qualifica como ‘fabricados’. Marcelo Crivella prefere fazer o inverso e atacar os mensageiros, como um autocrata”, diz a Abraji no comunicado.

Leia também: 
Bolsonaro atenta contra princípios da moralidade e impessoalidade, diz advogada da FSP
Bolsonaro barra imprensa em lançamento de partido e ataca a Globo e a Folha em live