Jornalista Bruno Capelas lança livro sobre o universo do Castelo Rá-Tim-Bum

Kassia Nobre | 28/11/2019 08:40
Quem foi criança nos anos 90 pôde acompanhar as aventuras dos personagens do Castelo Rá-Tim-Bum, programa infantil da TV Cultura. Bruno Capelas, jornalista do Estadão, é um dos fãs da atração infantil. Ele acaba de lançar “Raios e trovões – A história do fenômeno Castelo Rá-Tim-Bum” (Summus Editorial). 

O livro foi resultado do trabalho de conclusão de curso (TCC) para a Escola de Comunicação e Artes (ECA - USP). 

“Um dia eu estava assistindo à TV com minha irmã, dez anos mais nova. Estava passando Castelo e a gente ficou assistindo. Eu assisti ao episódio inteiro e não quis mudar e isso me chamou a atenção. Eu queria entender por que o Castelo era tão importante e por que eu gostava tanto daquilo mesmo já adulto. Aí eu pensei: está aí o meu trabalho”.
Crédito:Divulgação Summus Editorial


Bruno explica que a primeira parte da pesquisa foi feita em 2014. Logo depois da formatura na faculdade, decidiu reescrever e ampliar o trabalho para transformá-lo em livro. 

“Eu tive sorte porque na época da pesquisa estava acontecendo a exposição sobre o Castelo [no Museu da Imagem e Som]. Encontrei várias pessoas que de outro modo eu não encontraria”.

Assim, o jornalista realizou mais de 30 entrevistas com pessoas envolvidas no Castelo. Atores, roteiristas, diretores e executivos da TV Cultura da época. Além de pessoas dos bastidores, cenografia e efeitos especiais. 

Bruno conversou ainda com André Sturm, que realizou a exposição em 2014, e Lilia Schwarcz, responsável pela coleção de livros inspirada pelo programa que foi lançada pela Companhia das Letras. “Uma série de pessoas importantes para o castelo ser o que é”.  

A obra revela bastidores do programa, como detalhes de figurinos e cenários de gravações, passando pela criação de roteiros e escolha de elenco. 

“O leitor vai encontrar curiosidades sobre os bastidores. Entender como determinadas coisas foram feitas. Como a abertura foi feita, como o quadro do ratinho foi feito. Porque as músicas são daquele jeito, escolha de roteiro e atores. O processo de decisão dos personagens. Vai encontrar também a história da própria TV Cultura. É difícil contar a história do Castelo sem contar a história da TV Cultura”.

História da cultura paulistana
Na apresentação do livro, o jornalista Alexandre Matias comenta que mais do que um sucesso comercial, o Castelo Rá-Tim-Bum é um fenômeno cultural. 

“Nasceu das experimentações que a contracultura paulistana passou uma década curtindo – os laboratório de TVs, a performance, o Lira Paulistana, a Boca do Lixo e o Teatro Oficina. Dali, buscaram inspiração, corações e mentes para compor um programa acolhedor e transgressor, ousado e divertido, metalinguístico e direto”, escreve. 

Assim, além de revelar sobre os bastidores, o livro relata a história da cultura paulista no período da criação do Castelo. 

“Você tem elementos muito diferentes da cultura de São Paulo que se encontraram no Castelo de alguma forma. Além disso, tem um capítulo que eu gosto muito que é o capítulo final que é uma análise porque o Castelo deu certo. São vários quesitos: de grade de programação, da experiência das pessoas, da vontade das pessoas de fazer e do conceito pedagógico”, finaliza.

Leia também:
Jornalista Ferdinando Casagrande lança livro sobre os bastidores do Jornal da Tarde
Yasmin Santos conta como seu TCC sobre racismo na imprensa brasileira virou capa da Piauí