Jornalistas da TV Brasil mandam carta à direção acusando censura no caso Marielle

Redação Portal IMPRENSA | 26/11/2019 17:53

Um grupo de jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), mantenedora da TV Brasil, enviou uma carta à diretora-geral da empresa, Cristiane Samarco, e à diretora de Jornalismo, Sirley Batista, questionando a demora em noticiar o pronunciamento de Jair Bolsonaro sobre as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Na carta, eles pedem uma audiência para tratar do assunto. 

Crédito:EBC
“Os jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação vêm, por meio deste, questionar o motivo que levou os veículos da EBC a entrarem tão tardiamente na cobertura da repercussão sobre as investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Levamos mais de 15 horas depois da fala do presidente da República, que veio a público dar suas explicações, por meio de uma transmissão ao vivo nas redes sociais, para publicar a primeira reportagem sobre o assunto na Agência Brasil. Passadas mais de 17 horas o tema continua silenciado nas nossas rádios”, diz um trecho da carta, que foi publicada na íntegra pelo colunista Robson Bonin, da revista Veja. 

No documento, os jornalistas questionam os critérios editoriais e falam que isenção do veículo é essencial para assegurar a credibilidade. 

“Exigimos respostas da direção e repudiamos mais uma vez a censura a que estão submetidos os veículos da empresa, que os impede de noticiar questões relevantes como essa”, diz o documento.


Leia também:
Para entidades, privatização da EBC é um ataque ao direito à informação
Imagem de Marielle Franco na TV Brasil seria a causa de demissão de diretor da EBC