Globo emite nota sobre ofensas e ameaças de Bolsonaro à emissora

Redação Portal IMPRENSA | 31/10/2019 15:52
A Globo emitiu nota nesta quarta, 30 de outubro, em resposta às ofensas e ameaças de Jair Bolsonaro à emissora. Os insultos foram feitos em vídeo divulgado pelo presidente logo após reportagem do Jornal Nacional exibida na terça, 29, sobre a citação do nome de Bolsonaro na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco.

No vídeo, o presidente afirmou que a emissora fez "patifaria" e "canalhice" ao noticiar o depoimento do porteiro do condomínio onde moram ele e seu filho Carlos Bolsonaro. O porteiro teria afirmado que o "seu Jair" liberou a entrada no condomínio de um dos suspeitos do assassinato da vereadora, no dia do crime.
Crédito:Reprodução
Na nota, a Globo afirma que não fez patifaria nem canalhice. E sim "jornalismo com seriedade e com responsabilidade". A emissora ressalta que divulgou as conclusões do Ministério Público do Rio, de que as declarações do porteiro não condizem com a realidade.

Sobre a afirmação de Bolsonaro de que só renovará a concessão da Globo se o processo estiver "enxuto", a emissora afirmou que "não poderia esperar dele outra atitude".

A empresa lembrou ainda que, além de noticiar o depoimento do porteiro, divulgou "por apuração própria" que as informações do porteiro se chocavam com a presença do então deputado Jair Bolsonaro em Brasília naquele dia.

O depoimento do porteiro, prossegue a nota da Globo, é importante, porque está relacionado "a um fato que ocorreu com um dos principais acusados no dia do crime". "Além disso, a mera citação do nome do presidente levou o Supremo Tribunal Federal a analisar a situação", diz a nota. 

Leia também