Jornalismo do SBT aposta em vídeos com formatos específicos para mídias sociais

Leandro Haberli | 09/10/2019 10:52
Voltado à área de jornalismo, o projeto SBT Video Lab é uma iniciativa pioneira da rede de TV de Silvio Santos no Facebook. Com o objetivo de experimentar novas linguagens jornalísticas em vídeos para a internet, mais de 150 funcionários e colaboradores da empresa passaram por treinamentos e 74 vídeos em formato específico para compartilhamento em mídias sociais foram produzidos.

Rodrigo Almeida Hornhardt, chefe de redação no SBT, explica que a iniciativa é fruto de sua participação, em conjunto com Carolina Gazal, gerente de conteúdo digital da emissora, em um curso promovido em maio e junho últimos pelo Facebook em parceria com a ONG International Center For Journalists (ICFJ). 
Crédito: Arquivo pessoal
Mais de 150 pessoas passaram por treinamento no projeto SBT Vídeo Lab

"Lideranças de diversas redações brasileiras foram convidadas a participar desse curso. Cada redação pôde escolher um foco de atuação. Nós escolhemos a área de vídeos", resume Rodrigo. 

Os veículos que participaram do curso receberam uma verba para produzir conteúdo dentro dos conceitos discutidos durante o treinamento. Assim nasceu o projeto SBT Video LAB.

"O engajamento da redação foi muito legal. As pessoas encararam como uma oportunidade de aprender uma nova linguagem. Essa primeira etapa gerou uma série de ideias e inputs", descreve o chefe de redação. 

Dentro das iniciativas promovidas, Rodrigo destaca o treinamento feito para os funcionários do SBT por Arnaldo Carvalho, editor de fotografia do Jornal do Commercio, de Recife (PE). Carvalho falou sobre a tendência de fotógrafos fazerem vídeos e de cinegrafistas fazerem fotos, a fim de multiplicar as equipes e tornar as redações mais sustentáveis. Já adotada no Jornal do Commercio, a prática teria levado um cinegrafista a ganhar um concurso interno de fotografia do grupo.   

Na primeira etapa do projeto SBT Video Lab, três tipos de vídeo com conteúdo jornalístico foram produzidos: curtos (até um minuto), mini docs e vídeos explicativos. Uma das prioridades do projeto são os chamados vídeos sociais, que são curtos, trazem pílulas de informação e podem ser assistidos sem áudio. 
Crédito:Arquivo pessoal
Rodrigo Almeida Hornhardt, chefe de redação no SBT

Com várias iniciativas na área digital, o SBT já é muito assistido no YouTube. Porém, nesta plataforma as reportagens são reproduzidas no mesmo formato que vão ao ar nos telejornais.  Agora a ideia é produzir conteúdo pensado especificamente para os meios digitais. 


"Há uma disruptura na nossa indústria, não sabemos como será o futuro. Mas sabemos que será necessário estar onde os espectadores estão", conclui Rodrigo.