Jornalista perde a visão e outros três ficam feridos durante protestos em Hong Kong

Redação Portal IMPRENSA | 03/10/2019 12:03
Pelo menos quatro jornalistas ficaram feridos nos últimos dois dias de protestos em Hong Kong. Uma repórter indonésia perdeu a visão, após ser atingida por balas de borracha disparadas por policiais, e dois profissionais de uma televisão foram atingidos por um líquido corrosivo nas mãos e na cara.
Crédito:Reuters
Por conta da violência, a emissora pública RTHK decidiu retirar todos os repórteres que  faziam a cobertura dos protestos.

Na quarta-feira (02/10), manifestantes anti-China voltaram às ruas, também para condenar a violência do Estado.

A polícia acusa os manifestantes de usarem líquido corrosivo, que queimou a pele de agentes e jornalistas.

Na véspera dos protestos, a Associação de Jornalistas de Hong Kong lamentou "o uso e a ameaça de violência contra jornalistas que cobrem eventos" no território.

O governo de Hong Kong retirou já formalmente a polêmica proposta de emendas à lei da extradição, na base da contestação social desde o início de junho.

Contudo, os manifestantes continuam a exigir que o governo responda a quatro outras reivindicações: a libertação dos manifestantes detidos, que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins, um inquérito independente à violência policial e a demissão da chefe de Governo e eleição por sufrágio universal para este cargo e para o Conselho Legislativo, o parlamento de Hong Kong.

Leia também:
Agressões contra jornalistas se generalizam em Hong Kong
Twitter fecha milhares de contas de fake news em todo o mundo