Assédio da CNN Brasil a jornalistas da Record impulsiona ataques à construtora MRV pela emissora de Edir Macedo

Redação Portal IMPRENSA | 24/09/2019 18:30
Impulsionada pelo interesse da CNN Brasil em contratar peças-chave de seu time de jornalistas e apresentadores, desde a semana passada a Record vem levando ao ar reportagens que atacam a construtora MRV, do empresário Rubens Menin, sócio-investidor da CNN Brasil.

A estratégia se acentuou com a contratação de Reinaldo Gottino, ex-apresentador do telejornal Balanço Geral, da Record, na semana passada.
Crédito:Reprodução


De acordo com a coluna Notícias da TV, de Daniel Castro, desde sexta-feira (20) a Record já exibiu três reportagens apontando problemas na MRV.

Em uma delas, a emissora informou que a construtora era alvo de dezenas de milhares de ações na Justiça de São Paulo, a maioria de consumidores insatisfeitos. Em outra, exibiu reportagem requentada de quase cinco minutos sobre ação do Ministério Público do Paraná contra a MRV por má qualidade de obras.

Nesta segunda 23, a Record voltou às ofensivas contra a construtora, dedicando outros 5 minutos para relatar que a empresa está sendo investigada pelo Ministério Público de São Paulo por supostamente ter erguido um condomínio sobre terreno com solo contaminado em Mauá (SP).

Ainda segundo a coluna Notícias da TV, Macedo e Menin são donos de bancos, e as regras do sistema financeiro proíbem agressões entre instituições do setor.

Assim, Macedo estaria incorrendo em crime contra sistema financeiro e contra a ordem econômica ao usar a Record para atacar uma empresa de Menin.


Detendo 65% das quotas da empresa Novus Mídia, que licenciou a marca CNN no Brasil, Menin é dono do banco Inter. Por sua vez, Edir Macedo controla o banco Renner.


A disputa também é alimentada pelo fato de o novo canal de notícias estar sendo montado por Douglas Tavolaro, ex-vice presidente de jornalismo da Record e autor da biografia de Edir Macedo. 


Leia também:
Monalisa Perrone vai apresentar telejornal em horário nobre na CNN Brasil
Aliados de Trump criam rede para investigar jornalistas considerados hostis