População vê a imprensa como a instituição menos corrupta, aponta pesquisa

Redação Portal IMPRENSA | 23/09/2019 17:47
A imprensa é uma das instituições que a população vê como menos corrupta no Brasil. Segundo pesquisa Barômetro Global da Corrupção: América Latina e Caribe, da Transparência Internacional, entre as 11 instituições analisadas, a imprensa aparece em último lugar, com 23%, seguida pelas ONGs, com 36%.
Crédito:Unicamp


Os membros do Congresso são considerados os mais corruptos (63%), seguidos por representantes dos governos locais (62%).

"Com relação a esse dado de imprensa, a pesquisa mostra que a mídia é uma das instituições que a população vê como menos corrupta se comparada com as outras instituições avaliadas. Mas esse número reflete também a campanha que existe em determinados setores da sociedade, não só contra a imprensa, mas também contra a sociedade civil", diz Guilherme France, coordenador da pesquisa no Brasil, em entrevista à Folha. 

A pesquisa também mostrou que quatro em cada cinco brasileiros acreditam que notícias falsas foram disseminadas para influenciar eleições.

Entre os 18 países participantes na América Latina e no Caribe, o Brasil só fica atrás da Bahamas (85%) neste quesito. Os países com os índices mais baixos foram a Costa Rica (52%) e o Chile (59%).

“Nesta pergunta sobre fake news, o Brasil tem, de fato, um resultado assustador. As pessoas falam com que frequência a notícia falsa é utilizada para influenciar os resultados políticos do país. Isso sem dúvida se deve a esse momento durante as eleições de 2018 em que fake news foram muito disseminadas”, afirma France. 

 Esta é a 10ª edição da pesquisa, que entrevistou 17 mil pessoas de 18 países da América Latina e Caribe.

No Brasil, foram ouvidas mil pessoas entre janeiro e março deste ano.  

Leia também:
Correspondente do New York Times dá dicas de cobertura de inteligência artificial