Jornalistas do JB estão sem receber desde fevereiro, diz Sindjor - Rio

Leandro Haberli | 17/09/2019 16:47
Jornalistas que trabalham ou trabalharam recentemente no Jornal do Brasil (JB) reclamam que estão há meses sem receber. Segundo o Sindjor - Rio, os salários estão atrasados desde fevereiro de 2019 e o jornal não depositou o FGTS nem o INSS dos funcionários.

"O sindicato realizou um primeiro encontro com representantes dos jornalistas do JB esta semana", diz Orlando Lemos, da diretoria jurídica do Sindjor - Rio. A lista de direitos e benefícios a receber seria longa. "O auxílio-alimentação nunca foi pago e o vale-transporte não é pago desde fevereiro", exemplifica Lemos.
Crédito: Reprodução revista Cult
Entre as possíveis soluções para os problemas relatados, o representante do Sindjor - Rio cita três: mandar ofício para a empresa pedindo reunião, pedir mesa redonda no Ministério do Trabalho e Emprego (MTbE) ou entrar com ação (rescisão indireta, por exemplo).  

Sem edição impressa desde março, o JB havia sido relançado ano passado com uma estratégia de negócios que priorizava as tradicionais bancas. A ideia era vender a partir de 20 mil unidades/dia a R$ 5 cada. Em segundo plano ficaram as receitas publicitárias e de assinaturas. Fundado em 1891, o jornal havia ficado 8 anos sem edição impressa quando foi relançado em fevereiro do ano passado. Apesar dos problemas, a edição online do JB continua.