Sociedade Interamericana de Imprensa critica Bolsonaro por usar MP para se “vingar de imprensa”

Redação Portal IMPRENSA | 08/08/2019 14:10
A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) manifestou apreensão com a decisão do presidente Jair Bolsonaro que retira a obrigatoriedade da publicação de balanços financeiros de empresas de capital aberto em jornais impressos.
Crédito:El País


“Lamentamos que os interesses políticos, partidários e pessoais prevaleçam sobre as críticas, as opiniões e as informações, direitos que a imprensa e os cidadãos possuem numa sociedade democrática”, comentou a presidente da SIP, María Elvira Domínguez, diretora do El País, de Cali, na Colômbia.

Bolsonaro disse, no dia 6 de agosto, que a publicação a Medida Provisória nº 892 foi uma retribuição do que Bolsonaro chama de “ataques” que sofre da imprensa. Ontem, na saída do Palácio do Planalto, ele comentou que avalia estender também para editais vinculados ao serviço público. A estimativa é que os jornais percam uma receita de cerca de R$ 600 millhões. 

A SIP é uma entidade sem fins lucrativos que defende a liberdade de expressão nas Américas e conta com 1.300 publicações.  “É possível entender que, como parte da tensão natural entre a mídia e o poder político, presidentes e funcionários ameacem, desprestigiem ou estigmatizem jornalistas e a mídia, mas que se vinguem concretamente como o fez Bolsonaro é de suma gravidade para o ambiente da liberdade de imprensa que deve reinar num país democrático”, afirmou María Elvira. 

Leia também: