Premiada jornalista nicaraguense que denunciou massacre do governo Ortega

Redação Portal IMPRENSA | 11/07/2019 15:06
Diretora do canal 100% Noticias, que cobriu o massacre do governo Ortega contra opositores no fim de 2018, a jornalista nicaraguense Lucía Pineda foi homenageada na edição 2019 do prêmio Coragem no Jornalismo, concedido pela International Women’s Media Foundation (IWMF).

O prêmio homenageia jornalistas mulheres que trabalham em ambientes hostis e compartilham "verdades difíceis”. Junto com o colega Miguel Mora, Pineda foi presa em dezembro último, quando a redação do 100% Notícias foi invadida pela polícia. Ela foi acusada de “fomentar e incitar ódio e violência” e de “provocação, proposição e conspiração para cometer atos terroristas”.
Crédito:La prensa


A libertação da dupla de jornalistas só ocorreu em 11 de junho, após seis meses de detenção. Pineda sofreu ataques psicológicos enquanto estava na prisão e foi acusada de ser uma líder da tentativa de golpe contra o presidente Ortega.

Em um vídeo no Facebook, Pineda classifica de “histórica" a cobertura feita pelo canal 100% Notícias do massacre do governo da Nicarágua contra o povo. “Como jornalista, não buscamos nenhum prêmio. Queremos informar”, escreveu no Facebook.

Outras vencedoras do prêmio Coragem no Jornalismo são as jornalistas ucranianas Anna Babinets, do SLIDSTVO.INFO, e Nastya Stanko, do Hromadske. Também foram lembradas Anna Nimiriano, do The Juba Monitor, no Sudão do Sul, e Liz Sly, chefe da sucursal do jornal norte-americano Washington Post em Beirute, Líbano. 

Todas as ganhadoras serão reconhecidas em cerimônias em Nova York e Washington, D.C., nos Estados Unidos.