Mauro Naves é afastado da reportagem da TV Globo

Redação Portal IMPRENSA | 06/06/2019 15:48
O caso em que o jogador Neymar é acusado de estupro fez uma vítima entre os jornalistas. O repórter Mauro Naves foi afastado da reportagem esportiva da TV Globo por ter se envolvido na trama. Naves repassou o contato do pai de Neymar para o advogado José Edgar Bueno, que defendia a mulher que fez a acusação de estupro. 
Crédito: Reprodução Globo Esporte/ TV Globo
Na terça-feira, dia 3, o Jornal Nacional, da TV Globo, publicou uma carta feita pelos ex-advogados da mulher que acusa Neymar pelo crime de estupro. Nesta carta, eles afirmavam que houve uma reunião com os advogados do jogador e que essa reunião foi feita a convite do pai do atleta.  Na quarta-feira, em nota, Neymar pai desmentiu esta informação e disse que quem o procurou foi José Edgar Cunha Bueno, um dos advogados que defendiam a acusadora. O pai de Neymar afirmou que o contato foi passado por Mauro Naves, no dia 29 de maio. 

O repórter confirmou que passou o contato ao advogado e disse que fez isso pois esperava obter exclusividade para contar a história. O fato só foi relatado à emissora nesta quarta-feira, dia 5. Como repreensão, a emissora não só afastou Mauro Naves da reportagem, como produziu  uma nota lida no Jornal Nacional desta quarta-feira expondo toda a situação.

A nota foi repercutida em outros telejornais do grupo como o Hora Um e o Bom dia São Paulo, da TV Globo e o Jornal das Dez, da Globonews.

O assunto circula pelos grupos de redes sociais dos jornalistas. A relação entre fonte e repórter, ao mesmo tempo que pode render “furos” jornalísticos que repercutem bem para as empresas jornalísticas, também serve de pretexto para “fritar” jornalistas. O hoje âncora da rádio Bandnews FM,  Reinaldo Azevedo,  é um exemplo. Ele pediu demissão da revista Veja depois que sua conversa com Andrea Neves, irmã de Aécio Neves, que na época era investigado pela Operação Lava Jato,  foi vazada para a imprensa.

De acordo com o jornalista Daniel Castro, do Notícias da TV, a bronca no repórter em rede nacional repercutiu muito mal entre os colegas da emissora. Mauro Naves tem 31 anos de casa. A avaliação interna, segundo Castro, é que a cúpula da emissora teria se irritado com o fato de Naves não ter comunicado que tinha participado do caso. 

Veja abaixo o comunicado lido por William Bonner na edição de quarta-feira do Jornal Nacional

"O Jornal Nacional publicou nesta terça-feira (4) a carta aberta à imprensa divulgada pelos ex-advogados da mulher que acusa o jogador Neymar de estupro. Eles afirmam na carta que a reunião que tiveram com os advogados de Neymar foi feita a convite do pai do jogador. Nesta quarta-feira (5), em nota, o pai de Neymar desmentiu essa afirmação. Disse que foi o advogado José Edgar Cunha Bueno que o procurou, solicitando a reunião. E que José Edgar obteve contato dele por intermédio do repórter Mauro Naves, na quarta-feira da semana passada (29). O repórter confirma as afirmações da nota do pai de Neymar. Mas somente nesta quarta relatou à Globo sua participação no episódio.

Em sua defesa, Mauro Naves explicou que se limitou a repassar os contatos do pai de Neymar ao advogado, a quem já conhecia, porque esperava obter a história com exclusividade. E que, quando o assunto se tornou público, avaliou que sua participação não teria relevância. 
Mauro Naves é um profissional excelente, com grandes contribuições ao Jornalismo Esportivo da Globo. Mas há evidências de que as atitudes dele neste caso contrariaram a expectativa da empresa sobre a conduta de seus jornalistas. Em comum acordo, o repórter Mauro Naves deixará a cobertura de esportes da Globo até que os fatos sejam devidamente esclarecidos."

Leia também: