Em livro, jornalistas relembram histórias e bastidores em homenagem a Boechat

Marta Teixeira | 27/05/2019 15:25

Foi na época da missa de 30º dia da morte de Ricardo Boechat que os jornalistas Bruno Thys e Luiz André Alzer tiveram a ideia de reunir em livro algumas das muitas histórias marcantes protagonizadas pelo jornalista. Durante quase 50 anos trabalhando na imprensa, Boechat colecionou uma legião de admiradores dentro e fora da profissão e construiu grandes amizades.


Agora, 32 desses parceiros de caminhada tornam públicas algumas dessas histórias memoráveis reunidas no livro "Toca o barco -  Histórias de Ricardo Boechat  contadas por quem conviveu e trabalhou com ele". Jornalistas como José Simão, Ancelmo Gois, Leilane Neubarth, Fernando Mitre, José Luiz Datena, Tatiana Vasconcellos, Joaquim Ferreira dos Santos, Milton Neves, Angela de Rego Monteiro, Luiz Megale, Aluizio Maranhão, Rodolfo Schneider e outros relembram momentos marcantes passados ao lado de Boechat.


Crédito: Reprodução
Sem pauta fechada, amarras ou limites, cada um compartilhou momentos reveladores do caráter gregário, parceiro e humano do comentarista e apresentador, morto no dia 11 de fevereiro, quando o helicóptero em que viajava caiu, em São Paulo.  

"Passado o choque inicial, muitos começaram a lembrar de histórias de Boechat, não apenas de sua trajetória que muitos comparam a uma massa de bolo: quanto mais apanhava, mais crescia e isso desde o início quando trabalhou com Ibrahim Sued, nos anos 70. Nos encontros, as histórias dos colegas que conviveram com ele já vinham prontas: com começo, meio e fim. Não só as lendárias; havia muita história nova. Pensamos, assim, em reunir estes diferentes olhares e formar um retrato de Boechat, como forma de lembra-lo, mais até do que de homenageá-lo pura e simplesmente. A lista de nomes foi sendo formada num movimento quase espontâneo, em que um convidado sugeria outro e assim sucessivamente", relembra o jornalista Luiz André Alzer, explicando o projeto ao Portal IMPRENSA. 


Alzer e Bruno Thys, seu sócio na Editora Máquina de Livros, foram responsáveis por organizar a obra. A tarefa foi concluída no impressionante prazo de 60 dias. "O que mais nos angustiava era não ter noção dos depoimentos que nos chegariam. Como numa pescaria, nosso barco estava numa região rica em peixe. Lançamos a rede mas ainda assim sem saber o que viria. O resultado, porém, superou muito as nossas expectativas. Há um mar de histórias incríveis que mereciam ser contadas, reunidas e compartilhadas. Apesar de Boechat ter se tornado um livro aberto, sem limite entre família, trabalho, amigos, leitores, telespectadores e ouvintes, ele produziu muitas histórias que impactaram, em diferentes momentos, muitos dos que estão livro, as vezes até sem se dar conta disso. Mais do que meia dúzia de boas histórias, o livro traz um conjunto de pequenas histórias que, reunidas em perspectiva, formam uma grande história de vida", destaca Thys. 


E como uma imagem vale mais do que mil palavras, charges de Chico Caruso, Aroeira, Cláudio Duarte e André Hippertt retratam um dos mais respeitados jornalistas nacionais em vários momentos, complementado a homenagem.


Acostumado a compartilhar parte de sua vida pública e também pessoal com quem o acompanhava todos os dias na BandNews FM, Jornal da Band e na coluna da revista IstoÉ, Boechat deixou diferentes marcas por onde passou. Justamente por isso, os organizadores garantem que, cada um a sua maneira, os relatos reunidos produzem um efeito em que os lê. 


"Boechat era Boechat 24 horas e ninguém que conviveu com ele, ainda que por pouco tempo, passou incólume. Era um jornalista visceral, que ia ao limite do possível, fosse como chefe, colega, líder, amigo, companheiro... Ele vivia  isso o tempo todo. Mas, claro, os reiterados depoimentos sobre altruísmo e a generosidade, presentes em várias partes do livro, emocionam e encantam, assim como o lado mais picaresco, mordaz, engraçado e teatral. Seu humor rápido e inteligente era único, assim como sua humildade e coragem", completa Alzer. 


Com 176 páginas, "Toca o barco" chega às livrarias e plataformas digitais nos formatos papel e e-book. O primeiro lançamento será no dia 6 de junho, às 19h, no Gabinete de Leitura Guilherme Araújo, no Rio de Janeiro. 


No dia 10, também às 19h, será lançado na unidade da Vila Madalena da Livraria da Vila. No dia seguinte, no mesmo horário, mais uma lançamento no Rio, desta vez no Clube Rio Cricket, em Icaraí. 

 

Leia também:

Comissão chama Wajngarten para explicar diretrizes da comunicação do governo
Presidente da TV Cultura é anunciado oficialmente. Boni lidera Conselho de Gestão

Em novo livro, Mauri König revela processos de produção jornalística
"Escritos com a pele": Moisés Rabinovici reúne suas melhores reportagens em livro