Dirigente de futebol manda jornalista se calar em coletiva

Redação Portal IMPRENSA | 14/05/2019 09:21

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindjor-PR) repudiou a atitude de Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Athletico Paranaense, que mandou uma jornalista se calar durante entrevista. Ele se irritou quando a profissional perguntou sobre a dívida financeira da Arena da Baixada. 

Crédito: Reprodução
Mario Celso Petraglia é presidente do Conselho Deliberativo do CAP

"O dirigente humilhou e hostilizou a jornalista Luana Kaseker da Silva Freire, do jornal Gazeta do Povo, durante uma coletiva de imprensa nessa segunda-feira (13), ao mandar a profissional se calar e impedir que ela concluísse uma pergunta. Petraglia também ameaçou não liberar mais a participação do jornal em futuras coletivas do clube. (...) A falta de respeito com profissionais da imprensa se tornou corriqueira, mas é lamentável e inaceitável. Impedir jornalistas de trabalhar por não gostar das perguntas feitas viola o livre exercício profissional", diz um trecho da nota. 


A coletiva havia sido convocada pelo clube para falar sobre o doping dos jogadores Thiago Heleno e Camacho, que testaram positivo para a substância Higenamina. Os jogadores foram testados durante participação na Recopa. 


"Mesmo que a coletiva convocada pelo Atlético fosse sobre a situação de doping de atletas, bastava ao presidente dizer que não responderia à questão quando foi questionado sobre a dívida da Arena da Baixada", criticou o Sindjor-PR. 


Acesse a íntegra da nota oficial.


Assista ao vídeo com a íntegra da coletiva. O diálogo entre Petraglia e Luana começa aos 26'36.




Leia também:  

Ministério multa rádios comunitárias por irregularidades
Adesão de jornais a assinaturas digitais cresce na Europa e EUA