Congresso discute jornalismo investigativo e faz homenagem a Miriam Leitão

Redação Portal IMPRENSA | 07/05/2019 16:02

Estão abertas as inscrições para a 14ª edição do Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Associação brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). O evento será realizado entre os dias 27 e 29 de junho, no campus Vila Olímpia, da Universidade Anhembi Morumbi. 

Crédito: Reprodução/Abraji
A jornalista Miriam Leitão é a homenageada deste ano no Congresso da Abraji

A homenageada desta edição é a jornalista e comentarista Miriam Leitão, da Rede Globo. "Estou muito emocionada com essa homenagem. Porque é da própria categoria, e hoje a Abraji é a mais importante representação dos jornalistas brasileiros, e também pela dimensão profissional dos que já receberam esse prêmio. Tomei um susto grande, não esperava. Na verdade estou numa alegria imensa", disse à associação. 


Aos 66 anos, Miriam começou no jornalismo aos 18 anos, no jornal Tribuna de Vitória, como estagiária. Participante do movimento estudantil nos anos 1970, foi presa pela ditadura militar quando estava grávida do primeiro filho e ficou trancada nua com uma cobra em uma sala do 38º Batalhão de Infantaria do Exército, em Vitória. 


Em 47 anos de trabalho no jornalismo, passou por algumas das principais publicações nacionais, incluindo Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil, Veja, O Estado de S. Paulo e O Globo. Atualmente, é comentarista da TV Globo e da GloboNews. Em 2005, Miriam tornou-se a primeira jornalista brasileira a receber o prêmio Maria Moors Cabot, da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. 


Além da carreira jornalística, Miriam é escritora, tem 11 livros publicados, cinco deles infantis. Em 2012, conquistou o prêmio Jabuti na categoria Não Ficção com "Saga Brasileira - A Longa Luta de um Povo por sua Moeda" (Record). 


Temas variados

Diversos convidados internacionais já estão confirmados no Congresso desse ano. Entre os participantes está Adam B. Ellick, produtor executivo do New York Times. Ele falará sobre o "Operation Infektion" série de vídeos que aborda o uso político da desinformação. Ken Bensinger, repórter investigativo do BuzzFeed News, nos Estados Unidos, vai falar sobre a cobertura dos negócios no futebol e a corrupção nas entidades privadas no Brasil e sobre investigações envolvendo Trump, FBI, Rússia e Fifa. 


O tema de Fabián Werner, do uruguaio Sudestada, e Liseth Boon, do venezuelano Runrunes, veículos especializados em jornalismo investigativo, será: os desafios de se produzir jornalismo independente na América Latina. Entre os destaques nacionais estão Ana Terra Athayde e Elvira Lobato, que terão como tema os retratos da diversidade da mídia local no Brasil; Pedro Bial, Cristina Fibe e Helena Borges contando os bastidores da reportagem sobre as fraudes e abusos de João de Deus, entre outros profissionais.


Em oficinas temáticas, especialistas darão dicas para trabalhar com jornalismo investigativo. Os assuntos incluem: ferramentas de verificação de conteúdos, jornalismo de dados e colaborativo, investigação de gasto público etc.


Acesse aqui para mais informações e inscrições.


Leia também:

Apenas 9% da população mundial vive em países com liberdade de imprensa satisfatória

Apenas 56% dos crimes contra jornalistas foram resolvidos nos últimos 20 anos, revela estudo do ENASP