SIP cita Brasil e critica governos que agem para tirar credibilidade da imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 03/05/2019 14:34

Em comunicado oficial pelo Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, María Elvira Domínguez, presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP na sigla em espanhol), falou sobre a intensificação das ações de governos para minar a credibilidade jornalística. O Brasil foi citado como exemplo dessa situação, juntamente com México, Honduras, Estados Unidos, El Salvador e Guatemala. 

Crédito: Reprodução

A entidade destaca que desde maio de 2018, foram assassinados 26 jornalistas no México, Brasil, Colômbia, Honduras e Estados Unidos. O caso dos jornalistas Miguel Mora e Lucía Pineda, presos na Nicarágua pelo governo de Daniel Ortega, também foi lembrado. 


"Nos preocupa que em quase todos os países existem campanhas de estigmatização elaboradas por líderes democráticos que buscam tirar credibilidade da imprensa para governar mais comodamente como vemos acontecendo no Brasil, El Salvador, Guatemala, Honduras, México e Estados Unidos. Não podemos ter sossego quando as liberdade de imprensa e de expressão estão assediadas por discussões violentas que dão em redes sociais, assim como pela polarização, pela disseminação tendenciosa de informação que busca influenciar eleições mediante notícias falsas disseminadas por batalhões de bots e cibermilitantes, ações que já se incorporaram como mecanismos normais nos processos eleitorais", destaca o texto da mensagem.  


María Elvira fala ainda sobre a situação na Venezuela onde "a censura oficial desrespeita o direito dos venezuelanos de acessar a informação por qualquer mídia ou plataforma disponível e reprime as manifestações cidadãs". 


Leia também:

Jornal Metro encerra operações no Rio de Janeiro, Brasília e Campinas
"Liberdade de imprensa é a pedra angular das sociedades democráticas", diz diretora da Unesco