Facebook vai se responsabilizar pelo uso indevido de dados de seus usuários por terceiros

Redação Portal IMPRENSA | 09/04/2019 16:25

Após pressões da Comissão Europeia e de autoridades ligadas a grupos de consumidores, o Facebook vai revisar seus termos de uso. Com as mudanças, a plataforma terá de deixar claro como coleta e utiliza os dados de seus usuários para fins de publicidade  direcionada e reconhecerá sua responsabilidade em caso de negligência, por exemplo, quando esses dados forem usados de maneira indevida por terceiros. 

Crédito: Divulgação
Mark Zuckerberg é o CEO do Facebook

"Agora, os usuários entenderão claramente que seus dados são usados pela rede social para vender anúncios direcionados", explicou, em comunicado, a comissária da Comissão de Justiça, Vera Jourova. 


A empresa também se comprometeu a apagar de seu banco de dados toda informação excluída pelo usuário. Esse conteúdo só pode ser mantido em casos específicos - para cumprir pedido de execução por uma autoridade, por exemplo - e pelo período máximo de 90 dias. Pela regra anterior, mesmo quando o usuário deixava a rede suas informações permaneciam em posse da empresa por prazo indeterminado. 


O Facebook se comprometeu a implementar todas as mudanças necessárias até o fim de junho. Algumas delas, porém, estarão disponíveis imediatamente. 


Comandada por Mark Zuckerberg, a gigante das mídias sociais tornou-se alvo de investigações e críticas intensas no início de 2018. Nessa época, veio a público o escândalo da Cambridge Analytica, que utilizou dados dos usuários da rede para influenciar o eleitorado na eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. 


A plataforma sempre se defendeu afirmando que não podia ser responsabilizada pela maneira como terceiros utilizam a rede. Contudo, documentos indicam que o Facebook tinha conhecimento do que estava sendo feito e decidiu não agir para impedir a manipulação. 


A descoberta de outros casos de vazamento de informações e falhas na segurança dos dados fez a confiança na plataforma ser abalada.


Nova parceria

Nesta terça-feira (9), o Estadão anunciou parceria com o Facebook no programa de verificação de fatos da plataforma. A iniciativa busca diminuir e controlar a divulgação de notícias falsas e desinformação através da rede.
 
A equipe do Estadão Verifica se junta à Agência Lupa, Aos Fatos e AFP participantes do projeto desde seu lançamento, em maio de 2018. Desde sua criação, mais de 700 conteúdos suspeitos foram checados.


Leia também:   

Reino Unido planeja regulamentação para forçar plataformas digitais a excluírem conteúdos impróprios
R7 lança multiplataforma para conteúdo de marca