Reino Unido planeja regulamentação para forçar plataformas digitais a excluírem conteúdos impróprios

Redação Portal IMPRENSA | 08/04/2019 18:00

O Reino Unido apresentou nesta segunda-feira (8) uma proposta de regulamentação direta das plataformas digitais como Facebook, Google e Twitter. A supervisão do cumprimento das regras a serem estabelecidas ficaria sob responsabilidade de um órgão regulador independente. 

Crédito: Divulgação

A informação é da BBC. O objetivo da iniciativa é criar mecanismos efetivos para obrigar as grandes empresas de tecnologia a retirar conteúdos considerados inadequados. Nessa categoria, enquadram-se incitação à violência, desinformação, agressões, assédios, exploração infantil, além de conteúdos de automutilação e suicídio. 


O sistema seria financiado com recursos de uma taxa a ser paga pelas plataformas.  


A proposta conta com o apoio da primeira-ministra britânica Theresa May. "A internet pode ser brilhante para conectar as pessoas ao redor do mundo, mas há muito tempo essas empresas não têm feito o suficiente para proteger os usuários, especialmente as crianças, de conteúdos inapropriados", disse a dirigente em comunicado. Segundo ela, "é hora de mudar as coisas".


Leia também:

Lei russa pode proibir distribuição de mídia impressa estrangeira sem permissão do governo, diz CPJ
Associação faz pesquisa sobre como jornalistas utilizam a Lei de Acesso a Informações