Associações repudiam ofensas de deputada à imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 08/04/2019 08:15

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina (SJSC) e a Federação das Emissoras de Rádio e TV (Fenaert) divulgaram nota de repúdio às declarações dadas pela deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL-SC) contra o trabalho da imprensa. A parlamentar afirmou que "jornalistas são canalhas" e que se questiona se "têm problemas cognitivos". 

Crédito: Luis Debiasi/Agência AL
A deputada Ana Caroline Campagnolo

As ofensas foram proferidas ao ser questionada pelo jornalista Altair Magagnin, do jornal Notícias do Dia do Grupo RIC, para uma reportagem denunciando que a deputada teria cobrado diárias da Assembleia Legislativa relativas a dias nos quais participou do lançamento de um livro de sua autoria em várias cidades de Santa Catarina. A reportagem fez o cruzamento de dados da agenda da parlamentar e do Portal Transparência do Legislativo para comprovar a matéria. 


Fenaj e SJSC divulgaram nota conjunta afirmando que "tal episódio constitui-se num fragoroso ato de cerceamento ao livre exercício da profissão além de flagrante tentativa de intimidação contra o jornalista.  O SJSC e a FENAJ esperam da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Santa Catarina a devida apuração e medidas cabíveis não só sobre as denúncias contidas na matéria, como também quanto ao indecoro da parlamentar". 


A Fenaert declarou em sua nota que "repudia o cerceamento à liberdade de imprensa e expressão jornalística, sendo contra qualquer atitude que vise impedir um jornalista de fazer o seu trabalho ou ofendê-lo em razão de sua função de expor a verdade sobre os fatos apurados. A entidade ressalta que este tipo de fato é gravíssimo, ainda mais por envolver uma figura pública, que ocupa um cargo eletivo e, portanto, deveria agir de forma a dar bom exemplo à população".


Leia também:

Após chamar de "fake news", Bolsonaro admite possibilidade de demitir ministro
Lei russa pode proibir distribuição de mídia impressa estrangeira sem permissão do governo, diz CPJ