"Jornalismo não é um inimigo a ser combatido", diz ANJ sobre ataques de Bolsonaro à imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 28/03/2019 15:42

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota oficial nesta quinta-feira (28) lamentando o ataque de Jair Bolsonaro ao jornal Folha de S. Paulo e à imprensa em geral. Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, o presidente da República definiu a publicação como "fonte de todo mal" e repetidamente faz críticas genéricas ao jornalismo. 

Crédito: Reprodução

Em sua manifestação, a ANJ lembrou a importância da imprensa para a democracia e sua função fiscalizadora dos poderes constituídos. 


Leia a íntegra da nota:
"A Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamenta a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que "toda fonte do mal é a Folha de S. Paulo". Na entrevista em que atacou o jornal, o presidente também vez críticas genéricas ao jornalismo, mais uma vez demonstrando falta de compreensão em relação ao papel da imprensa.
Além de apresentar o relato dos fatos e a multiplicidade de visões, é missão da imprensa acompanhar e fiscalizar os atos dos poderes e das autoridades públicas.
Essencial para a democracia, o jornalismo é fonte de informação para os cidadãos, e não um inimigo a ser combatido"


Leia também:
Folha é líder em assinaturas digitais no Brasil. NY Times é nº 1 no mundo

Relatório da RSF denuncia ameaça chinesa à liberdade de imprensa no mundo