Associação critica decreto que restringe atuação da imprensa no Tocantins

Redação Portal IMPRENSA | 12/03/2019 19:58

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou nota oficial nesta terça-feira (12), criticando a mudança de regras para acompanhamento pela imprensa do cumprimento de mandados de busca e apreensão pela Polícia Civil no Tocantins. A decisão foi assinada do governador Mauro Carlesse (PHS) já foi publicada no Diário Oficial do Estado. 

Crédito: Agência Brasil

Pelo novo manual de procedimento, a imprensa só poderá acompanhar essas ações com autorização prévia do delegado-geral da Polícia Civil. As imagens feitas durante as operações também terão de ser selecionadas pelo setor de comunicação da corporação antes de divulgadas. 


"Para a Abraji, restringir de qualquer maneira o trabalho de jornalistas, notadamente por decreto, é uma agressão à liberdade de imprensa. A iniciativa do governo de Tocantins contraria a Constituição ao dificultar o acesso dos cidadãos a informações de caráter público. A Abraji espera que os trechos do decreto que estabelecem tais restrições sejam revogados ou modificados de forma a não prejudicar a livre circulação de informações", destaca a associação na nota. 


Leia também:

No Brasil, mais de 70% das jornalistas já sofreram assédio durante o trabalho
Seminário: Ataque a jornalistas é crime contra a democracia