Dicas para proteger informações sigilosas e resguardar suas fontes

Redação Portal IMPRENSA | 08/03/2019 15:16

Manter em segredo informações passadas de maneira sigilosa por suas fontes deve ser uma das principais preocupações de todo jornalista. A tarefa nem sempre é fácil, mas alguns procedimentos de segurança podem ajudar a atingir esse objetivo. 

Crédito:Pixabay

Uma matéria da Rede de Jornalistas Internacionais (da sigla em inglês Ijnet) reuniu algumas dicas importantes para serem seguidas quando se obtém informações em "off" de uma fonte. Uma das primeiras orientações passadas pelo jornalista Philip di Salvo, professor do Instituto de Mídia e Jornalismo da Università della Svizzera Italiana, é checar sempre se não há uma tentativa do informante de manipular a notícia fornecendo informações que o favoreçam. 


Obtidas as informações é importante primeiro negociar o que pode ser usado e atribuído à fonte. Outra coisa importante é garantir o armazenamento seguro desses dados e, existindo risco para quem passou a informação treinar a fonte com o básico em segurança cibernética e comunicação de dados. 


"Isso pode levar uma hora ou mais do seu tempo para fazer, e pode deixar uma fonte nervosa. Mas é importante. E hoje faz parte da proteção da fonte", disse à Ijnet, a jornalista e pesquisadora em segurança cibernética e privacidade da Universidade de Melbourne Suelette Dreyfus.  


Com base nas orientações passadas pelos dois especialistas, confira alguns pontos a serem observados pelos jornalistas ao lidar com material sigiloso. 


1 - Defina e avalie o "off the record" - É importante entender por que aquele conteúdo é sigiloso.

2 - Mantenha as comunicações criptografadas - Nos telefones, os especialistas sugerem a utilização do aplicativo de mensagens Signal. Bate-papos online podem ser mantidos pelo Ricochet IM, para desktop, o uso do software Tor também ajuda. "Não é o anonimato perfeito, mas é melhor do que não usá-lo", diz Dreyfus. Plataformas como GlobalLeaks ou SecureDrop são outras opções para conversas sugeridas por Di Salvo. O fundamental é jamais utilizar redes sociais comuns para esse tipo de contato, nem mesmo no modo privado. 

   
3 - Manuseie os dados com segurança - Todo o armazenamento de informação deve ser criptografado, o mesmo vale para as notas transcritas em arquivos de texto. Apague os dados com segurança caso sua fonte peça ou você julgue necessário. "É preciso fazer algumas pesquisas para fazer isso corretamente e pode ser necessário destruir fisicamente um disco rígido com informações confidenciais", ressalta Dreyfus. 


Leia também:

Jornalista americano é deportado após ser preso na Venezuela
CPJ atualiza orientações para jornalistas na Venezuela