Governo inicia mudanças na EBC, corta comissionados e suspende programas

Redação Portal IMPRENSA | 31/01/2019 12:15

O governo começou a implantar as primeiras mudanças práticas na Empresa Brasileira de Comunicação (EBC). As medidas incluem o corte de cargos em comissionamento, mudanças de funções e o cancelamento do programa Sem Censura, que era transmitido ao vivo pela TV Brasil.

Crédito: Bruno Barros /TV Brasil
Vera Barroso era responsável pela apresentação do programa Sem Censura nas tardes da TV Brasil

Uma lista divulgada pela empresa registra alteração em 45 cargos comissionados de sua estrutura de funcionamento. Os funcionários concursados foram realocados para outras funções. 

As mudanças também incluem trocas de profissionais em cargos de confiança.  O Maranhão foi uma das praças que sofreu alterações e também teve o telejornal local cancelado. 


A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) classificou a situação como "desmonte da praça do Maranhão". "Esta situação é absurda. Entendemos que qualquer processo de reestruturação deve ser feito a partir do diálogo com os trabalhadores (...) Não há sequer transparência da empresa com relação ao que se pretende", protestou a Fenaj, solicitando ainda que entidades representantes dos trabalhadores sejam recebidas pela direção da empresa para explicar a reestruturação e seus impactos na vida dos funcionários. 


Ainda no período das eleições, o presidente eleito Jair Bolsonaro já falava sobre sua intenção de extinguir a EBC. Posteriormente, o discurso foi modificado, passando a tratar de "mudanças" na empresa. 


No ano passado, a EBC teve 257 adesões em seu segundo Plano de Demissão Voluntária (PDV). Já o Conselho de Comunicação Social (CCS) do Congresso avisou que o sistema público de radiodifusão do Brasil seria "radiografado" com a análise de suas estruturas, audiências e sistemas de financiamento. 


Criada em 2007, a EBC herdou toda a estrutura da Radiobrás, criada pela Ditadura. Integram a empresa a  a TV Brasil, as rádios EBC (com unidades no Rio de Janeiro, Brasília, Amazônia e Alto Solimões), a Agência Brasil, o Portal EBC e a Radioagência Nacional. 


Leia também:  

Arquivo criado pela Aos Fatos armazena postagens de Bolsonaro no Twitter
Amaury Jr. deixa a Band para focar em projeto televisivo nos Estados Unidos