Repórteres Sem Fronteiras lança petição contra ataques a jornalistas na França

Redação Portal IMPRENSA | 23/01/2019 11:19

"Os cidadão têm o direito de se  manifestar e os jornalistas o de informar". Com essa frase, a ONG Repórteres Sem Fronteiras lançou uma petição pelo fim das agressões a profissionais de imprensa que têm ocorrido em manifestações na França. 

Crédito: Reprodução/RSF

O documento online foi uma das maneiras que a organização encontrou para reagir ao aumento de violência registrado desde as primeiras mobilizações dos "coletes amarelos" na capital francesa. O movimento surgiu no fim do ano passado para protestar contra o reajuste do imposto sobre combustíveis determinado pelo governo francês. 


A mobilização levou o presidente Emmanuel Macron a suspender a medida, mas o movimento migrou para protestos sobre diversas outras questões sociais - aumento do salário mínimo e das aposentadorias entre eles. Desde então, foram registrados diversos casos de violência durante manifestações.


Segundo a ONG, entre os ataques mais frequentes, os profissionais têm sofrido agressões, insultos, confisco de materiais e equipamentos de reportagem e ameaças de morte. 


"O crescimento da violência contra os repórteres é extremamente grave e preocupante, como são evidentemente todas as violências arbitrárias, quaisquer que sejam os autores. Quer sejam manifestantes ou sejam policiais, não podemos pretender defender a liberdade e atacar o jornalismo", diz a RSF no documento. "Na França, o direito de informar é um direito fundamental, ao mesmo tempo que o direito de se manifestar. Lançamos um apelo pela mobilização cidadã a fim de colocar fim às violências contra os jornalistas. Os cidadãos têm o direito de se manifestar, os jornalistas o de informar, ao serviço de todos", explica o texto da petição. 


Leia também:

"Quanto maior for a liberdade de imprensa, maior é o combate à corrupção", diz ministro do STF
Radialista que denunciou ameaças é assassinado no México