Abert destaca avanço tecnológico das rádios em 2018

Redação Portal IMPRENSA | 15/01/2019 14:22

A inovação foi uma das marcas do rádio brasileiro em 2018. Na opinião do diretor geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Cristiano Lobato Flores, essa movimentação serviu para fortalecer ainda mais o setor. 

Crédito:Pixabay

"O último ano foi um marco no avanço tecnológico das emissoras. Mais rádios começaram a utilizar as plataformas digitais para transmissões ao vivo, conhecendo sua audiência por meio de dados e aproximando seus ouvintes", afirmou Flores.


De acordo com a edição 2018 do Book de Rádio, realizada pelo Kantar Ibope, três em cada cinco pessoas têm o hábito de escutar rádio diariamente no Brasil. Realizada em 13 regiões metropolitanas do país, a pesquisa constatou que 86% da população ouve rádio. 


A utilização da internet para expandir ainda mais o seu alcance foi muito aproveitada pelas emissoras, que também diversificaram sua oferta de atrações, incluindo, por exemplo, transmissões de vídeo. Flores, contudo, destaca que a fórmula do sucesso não se limita a colocar uma câmera no estúdio e fazer uma transmissão. "É preciso digitalizar os trabalhos de maneira estratégica, aumentando o share de audiência e entregando dados para o anunciante", explicou. 


Copa do Mundo, paralisação dos caminhoneiros, eleições... em 2018, o que não faltou foram eventos para desafiar o rádio como um veículo acessível e confiável. "Tivemos Copa do Mundo, greve dos caminhoneiros e o período eleitoral, que levantou uma grande discussão sobre as notícias falsas. Tudo isso acabou valorizando ainda mais o meio, sobretudo as rádios do segmento all news, que transmitem notícias o tempo todo em sua programação", completou Flores.

Leia também:

Inscrições abertas para curso online gratuito para jornalistas sobre algoritmos de notícias
78% da população que ouve rádio confia nas notícias, revela pesquisa